'Pintou um clima', João Amoêdo apoia Lula e orçamento secreto

'Pintou um clima', João Amoêdo apoia Lula e orçamento secreto

Tempo real: Moraes manda tirar do ar vídeos em que Bolsonaro fala que ‘pintou um clima’ com venezuelanas

Correio Sabiá lança um tempo real para te atualizar sobre as notícias mais importantes do final de semana
O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi entrevistado no Jornal Nacional / Foto: Reprodução/TV Globo
O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi entrevistado no Jornal Nacional / Foto: Reprodução/TV Globo
Assobio: para te manter bem informado e fazer você realmente entender o noticiário, o Correio Sabiá abriu este espaço para atualizações constantes, em tempo real, durante o final de semana.

Moraes manda tirar do ar vídeos em que Bolsonaro fala que ‘pintou um clima’ com meninas venezuelanas

Presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Alexandre de Moraes determinou que as plataformas digitais retirem do ar aquele vídeo viral em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirma que “pintou um clima” com meninas venezuelanas de 14 e 15 anos. O conteúdo já estava sendo usado pelo PT (Partido dos Trabalhadores) em peças de campanha.

No vídeo, Bolsonaro se refere a um acontecimento de 2020, no qual transmitiu por suas redes sociais, ao vivo, uma visita feita a uma série de meninas venezuelanas que, segundo o presidente, iam se prostituir para “ganhar a vida”. Mais detalhes abaixo.

Oposição usa vídeo de Bolsonaro sobre ‘clima’ com menina venezuelana

Depois de ter vídeos sobre aborto, canibalismo e maçonaria que se tornaram virais nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (PL) virou assunto do momento no Twitter após dar declarações de que “pintou um clima”, segundo ele, com uma menina venezuelana em torno de 14 ou 15 anos que estava se arrumando para “ganhar a vida”. A declaração foi amplamente usada pela oposição nas redes sociais. Eis o vídeo: 

Bolsonaro diz que PT ‘ultrapassou todos os limites’

Bolsonaro fez uma live na madrugada deste domingo (16.out.2022) após cumprir agenda em 3 capitais brasileiras e disse que o PT “ultrapassou todos os limites” e que isso mostrou “o caráter” do partido, que segundo ele quer “chegar ao poder a qualquer custo”.

O presidente afirmou que o episódio com as meninas venezuelanas ocorrem em 2020 e houve uma transmissão ao vivo pelas redes sociais. Disse ainda que estava acompanhado de cerca de 10 outras pessoas. Eis o vídeo com a íntegra das declarações do presidente.

Venezuelana diz que casa visitada por Bolsonaro abrigava ação social

Uma das venezuelanas visitadas por Bolsonaro afirmou que a casa onde foi o presidente abrigava uma ação social. De acordo com ela, as meninas da Venezuela estava arrumadas porque “uma brasileira que fazia um curso de estética” foi até o local para praticar. Ou seja, elas não estariam arrumadas para “ganhar a vida”, como sugeriu Bolsonaro. Os detalhes estão numa reportagem do UOL. A PGR (Procuradoria-Geral da República) foi acionada.

Perfil do Twitter de João Amoêdo, fundador do partido Novo, faz campanha contra Bolsonaro / Foto: Reprodução
Perfil do Twitter de João Amoêdo, fundador do partido Novo, faz campanha contra Bolsonaro / Foto: Reprodução

Amoêdo anuncia voto em Lula e faz campanha contra Bolsonaro

Fundador do Partido Novo, João Amoêdo declarou que vai votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no 2º turno. Ele deu a declaração em 1ª mão numa entrevista para a Folha da S.Paulo e, em seguida, compartilhou o posicionamento no Twitter.

Mais do que isso, Amoêdo incluiu no link do seu perfil do Twitter uma URL encurtada escrita “FORA BOLSONARO”, em caixa alta mesmo, que direciona para um abaixo assinado a favor da abertura de impeachment do presidente da República e candidato à reeleição. 

Partido Novo rebate Amoêdo e fala em ‘lamentável’ declaração

O anúncio de Amoêdo tornou públicas as divergências políticas internas no partido Novo. Em nota, a própria legenda fez críticas ao seu fundador. 

Eis a íntegra da nota do partido Novo:

“É absolutamente incoerente e lamentável a declaração de voto de João Amoêdo em Lula, que sempre apoiou e financiou ditadores e protagonizou os maiores escândalos de corrupção da história.

Seu posicionamento não representa o Partido Novo e vai contra tudo o que sempre defendemos.

A triste declaração constrange a instituição, que se mantém coerente com seus princípios e valores e reforça que Amoêdo não faz mais parte do corpo diretivo do partido desde março de 2020.

Apoiar aqueles que aparelharam órgãos de Estado, corromperam nossa democracia e saquearam os cofres públicos é fazer oposição ao povo brasileiro.

O NOVO sempre foi e sempre será oposição ao lulopetismo e tudo que ele representa.”

‘Pega o boné e vai embora’, diz candidato derrotado do Novo a Amoêdo

Quem também se manifestou duramente contra a declaração de Amoêdo foi Felipe D’Avila, candidato do Novo neste ano à Presidência. Ele disse para que o fundador do novo pegue “o boné e vá embora”. 

Eis a íntegra do posicionamento de Felipe D’Avila: 

“A declaração de voto de Amoêdo ao Lula é uma traição aos valores liberais, ao partido Novo e a todas as pessoas que criaram um partido para livrar o Brasil do lulopetismo que tantos males criou ao Brasil. Amoêdo: pega o boné e vai embora. Você não representa os valores liberais.”

Amoêdo rebate críticas do partido

Após ser criticado pelo próprio partido que fundou e pelos correligionários, Amoêdo usou novamente as redes sociais, desta vez para rebater as críticas. Disse lamentar o posicionamento da legenda e afirmou que houve ataque à liberdade de expressão de um filiado.

3 donos da marca de limpeza Ypê doam total de R$ 1 milhão à campanha de Bolsonaro

Quem ficou do lado do presidente foi a família Beira, que controla a marca de produtos de limpeza Ypê, aquela do detergente. Juntos, 3 integrantes da família que fazem parte do conselho de sócios da Ypê, doaram R$ 1 milhão para a campanha de Bolsonaro, sendo R$ 500 mil de Jorge Eduardo Beira, R$ 250 mil de Ana Maria Veroneze Beira e R$ 250 mil de Waldir Beira Junior.

PF prende 2 irmãos em operação contra desvios do orçamento secreto

A PF (Polícia Federal) prendeu na última sexta-feira (14), no Maranhão, 2 irmãos –Roberto Rodrigues de Lima e Renato Rodrigues de Lima. Eles são suspeitos de inserir dados falsos em planilhas do SUS (Sistema Único de Saúde) para desviar recursos do chamado orçamento secreto, como ficaram conhecidas as emendas de relator. 

Os dados falsos teriam o objetivo, segundo as investigações, de aumentar a quantidade de procedimentos médicos e, assim, aumentar também o repasse de dinheiro para financiá-los.

Lembrando que o orçamento secreto é uma nova modalidade de emenda parlamentar que surgiu durante o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e que não tem as mesmas regras de transparência das outras formas de emenda.

E as emendas parlamentares são maneiras que os políticos têm de enviar recursos para seus redutos eleitorais, porque pressupõe-se que eles sabem exatamente onde estão as dores do cidadão na ponta da linha. 

Saiba ainda, numa reportagem que temos no Correio Sabiá, os principais detalhes da guerra na Ucrânia.

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

leia mais