Senador rebate comentário homofóbico na CPI

Senador rebate comentário homofóbico na CPI

CPI: Senador rebate comentário homofóbico de empresário bolsonarista

Otávio Fakhoury prestou disse que foi ‘infeliz’ ao fazer ‘brincadeira’ contra o senador Fabiano Contarato
O empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, de máscara azul, óculos de grau, gravata e terno, chega ao Senado Federal para prestar depoimento à CPI da Pandemia. Nas redes sociais, ele fez comentário homofóbico contra o senador Fabiano Contarato
Empresário Otávio Fakhoury em sua chegada ao Senado. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Logo após a abertura do depoimento do empresário bolsonarista Otávio Fakhoury à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia no Senado nesta 5ª feira (30.09.2021), o senador Fabiano Contarato (Rede-ES) fez um discurso para rebater um comentário homofóbico feito contra ele pelo depoente nas redes sociais.

Em maio, Contarato escreveu no Twitter que o então secretário especial de Comunicação Social Fábio Wajngarten, que prestou depoimento à CPI, deveria ser preso em estado “flagrancial”. No entanto, cometeu um erro de ortografia, escrevendo “fragrancial”. Na mesma rede social, Fakhoury ironizou o erro do senador com um comentário homofóbico.

“O delegado [Contarato], homossexual assumido, talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário… Quem seria o ‘perfumado’ que lhe cativou?”, perguntou o empresário.

Presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM) cedeu a presidência da Comissão para que Contarato pudesse questionar Fakhoury pelo comentário ofensivo. Em seu discurso, o senador, que é casado com um homem e tem 2 filhos, disse:

“O senhor não é um adolescente. O senhor é casado, tem filhos. A sua família não é melhor que a minha. (…) Eu aprendi que a orientação sexual não define caráter, a cor da pele não define o caráter, poder aquisitivo não define caráter. (…) Eu sonho com o dia em que eu não vou ser julgado por minha orientação sexual. Sonho com o dia em que meus filhos não serão julgados por serem negros. Eu sonho com um dia em que minha irmã não vai ser julgada por ser mulher e que o meu pai não será julgado por ser idoso”, declarou o senador. 

‘Aprendi que a orientação sexual não define caráter; a cor da pele não define caráter; o poder aquisitivo não define caráter.”

Contarato comparou a conduta de Fakhoury à do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Segundo o senador, ambos levantam bandeiras como a defesa da família e da moralidade, mas violam as duas.

“O dinheiro não compra dignidade. O dinheiro não compra caráter”, afirmou o congressista, que ainda acrescentou:

“Eu sempre pergunto: ‘Qual é a imagem que vou deixar para os meus filhos?’ A mesma certidão de casamento que o senhor tem, eu também tenho. A minha família não é pior do que a sua. E aí fala em ‘Deus acima de todos’? O senhor não sabe a dor que eu sinto. O senhor representa muito bem esse presidente, que fala em família, mas não respeita a família. Que fala em Deus acima de todos, mas Deus está na frente de todos nós.”

Fakhoury sobre comentário: ‘Infeliz’

Após o discurso do senador, Fakhoury pediu desculpas e disse que seu comentário foi “infeliz”.

“Realmente, o meu comentário foi infeliz, em tom de brincadeira. Porém, é uma brincadeira de mau gosto. Declaro que meu comentário não teve a intenção de lhe ofender, e sei que, se ofendi, foi profundamente”, disse o empresário.

O senador concluiu sua fala ao pedir que a CPI enviasse a publicação do empresário nas redes sociais à Polícia Legislativa e ao MPF (Ministério Público Federal) para apurar se houve crime de homofobia.

leia mais