Resumo de notícias #753 do Sabiá (5.abr)

Resumo de notícias #753 do Sabiá (5.abr)

Resumo de notícias #753 do Sabiá (5.abr) – Comece o dia voando

Adriano Pires desiste de presidir a Petrobras; Eduardo Leite sinaliza chapa com Simone Tebet
Eduardo Leite / Fonte: Reprodução / Twitter Eduardo Leite
Eduardo Leite se descompatibilizou do cargo de governador do Rio Grande do Sul e articula por fora, contra João Doria, sua participação na corrida presidencial / Fonte: Reprodução / Twitter Eduardo Leite

Neste resumo você encontrará alguns desses tópicos:

  • Zelenskiy visita Bucha, onde mais de 400 civis foram achados mortos; massacre deve atrasar negociações com a Rússia; Biden chama Putin novamente de ‘criminoso de guerra’;
  • Adriano Pires desiste de ocupar a Presidência da Petrobras; ações da empresa caem quase 1%; dólar cai a R$ 4,60;
  • Greve de servidores do Banco Central impede divulgação do Boletim Focus.

Este resumo foi enviado por volta das 7h para mais de 3,5 mil leitores do Correio Sabiá no WhatsApp. Clique aqui para receber.

Clique aqui para acessar a notícia da Agenda da Semana, onde você encontrará os principais eventos políticos e econômicos esperados para os próximos dias.

Clique aqui para se INSCREVER no Sabiá no Ar, o podcast diário do Correio Sabiá no Spotify.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Para ficar de olho hoje:

  • Estados Unidos. Divulgação de dados sobre estoques de petróleo no país.
  • Senado. Audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado para ouvir o embaixador da Rússia no Brasil, Alexey Kazimirovitch Labetskiy. 
  • Senado. Sabatina de 2 indicados para a diretoria do Banco Central, os economistas Renato Dias de Brito Gomes e Diogo Abry Guillen, e de Alexandre Barreto de Souza, indicado ao cargo de superintendente-geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).
  • Senado. Sabatina de Carlos Manuel Baigorri, indicado para exercer o cargo de presidente do Conselho Diretor da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).
  • Senado. Na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, sabatina para 3 indicados para compor o CNNJ (Conselho Nacional de Justiça) e 1 indicado para ocupar o cargo de ministro do TST (Tribunal Superior do Trabalho).

Agora, pegue seu café e vamos ao resumo de notícias:

Guerra. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, visitou a cidade de Bucha, próxima de Kiev, dias após a divulgação mundial de imagens com corpos no chão, em valas comuns, e rastros de destruição. Os corpos da prefeita e de sua família, por exemplo, foram vistos em cova rasa na Ucrânia.

Zelenskiy disse que o caso se tratava de um crime de guerra, voltou a falar em genocídio e afirmou que o massacre vai atrasar as negociações por um cessar-fogo entre os 2 países.

Mais. Já o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, voltou a dizer que o colega russo, Vladimir Putin, é um criminoso de guerra. No entanto, quando foi perguntado pelos repórteres se considerava que houve um genocídio em Bucha, reafirmou que se tratava de crime de guerra. Ou seja, evitou usar o termo “genocídio”.

Contexto. O massacre em Bucha foi revelado na mesma semana em que tinham ocorrido negociações promissoras por um acordo de cessar-fogo entre Ucrânia e Rússia. Há uma semana, os russos se comprometeram a reduzir radicalmente os ataques em Kiev e Chernihiv. 

Mais. A Ucrânia restabeleceu o controle de Kiev e no entorno da capital, a partir do redirecionamento das tropas russas, que se deslocaram mais para leste, onde há regiões separatistas pró-Moscou. Mas em Chernihiv, de acordo com o prefeito da cidade, ainda permanecem as tropas da Rússia.

Petrobras. O economista Adriano Pires anunciou que desistiu de ocupar a Presidência da Petrobras. No domingo, o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, também informou que tinha desistido de ocupar o Conselho de Administração da empresa.

Contexto. Aliás, no domingo (3), Bolsonaro falou em “jogo sujo” e atribuiu a “inimigos” que estão na estatal a tentativa de impedir que Pires assumisse a Petrobras. 

Só que o MPF (Ministério Público Federal) e o TCU (Tribunal de Contas da União) também tentam barrar a indicação, porque Pires está há mais de 20 anos à frente de uma empresa de consultoria que lucra com a política de preços da petroleira.

Mais. Ontem, segunda (4), Bolsonaro foi ao Rio de Janeiro acompanhado do ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) e do ministro Paulo Guedes (Economia). Na viagem, tentaria dissuadir Pires da ideia de não assumir a Petrobras.

Não adiantou. À noite, o próprio Ministério de Minas e Energia divulgou uma carta assinada por Pires declinando o convite. No texto, o economista disse, inclusive, que “ficou claro” para ele que não poderia conciliar o trabalho de consultor com a Presidência da estatal. 

Ele disse que começou imediatamente os procedimentos para se desligar da empresa de consultoria, na qual tem sociedade com o filho, mas afirmou ter constatado ao longo do processo que não poderia fazê-lo em tão pouco tempo.

Mercado. Ao longo do dia, a turbulência na sucessão da Petrobras fez as ações da estatal caírem. No caso das ações preferenciais, a queda foi de quase 1%, fechando cotadas a R$ 32,70.

O que também continuou a cair foi o dólar, que fechou em baixa de 1,27%, negociado a R$ 4,60. É a menor cotação de fechamento da moeda desde o pregão do dia 4 de março de 2020, quando a fechou a quase R$ 4,58.

Mais. Devido à greve em curso no Banco Central, o Boletim Focus, o Indeco e o Relatório de Poupança não serão divulgados nas datas previstas para a próxima semana (4 a 8/4). 

O Banco Central informou que, oportunamente, as datas de suas respectivas publicações serão divulgadas com pelo menos 24 horas de antecedência.

Eleições. Depois de ser derrotado nas prévias do PSDB e renunciar ao governo do Rio Grande do Sul para, supostamente, manter viva a chance de se candidatar à Presidência, o ex-governador gaúcho Eduardo Leite (PSDB), sinalizou que pode ser vice na chapa de Simone Tebet (MDB-MS), atualmente senadora.

Contexto. A sinalização é mais um golpe de Leite na candidatura do ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), ao Palácio do Planalto. São 2 ex-governadores do mesmo partido.

A situação gera embaraço. Enquanto o PSDB anunciou a candidatura de Joao Doria como cabeça de chapa, outro político relevante do mesmo partido, Eduardo Leite, se coloca à disposição para concorrer contra seu próprio partido, sendo vice de uma candidata pertencente a outra sigla.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Campanha de apoio do Correio Sabiá: Vacina contra a desinformação

leia mais