Resumo de notícias #744 do Sabiá (23.mar) - Comece o dia voando

Resumo de notícias #744 do Sabiá (23.mar) - Comece o dia voando

Resumo de notícias #744 do Sabiá (23.mar) – Comece o dia voando

Rússia não descarta uso de arsenal nuclear em caso de ‘ameaça’; Biden viaja à Europa para reunião da Otan
Biden tem uma série de compromissos na Europa, onde, por fim, deverá também encontrar o presidente da Polônia, país aliado da Otan e que faz fronteira com a Ucrânia / Foto: Adam Schultz/Official White House
Biden tem uma série de compromissos na Europa, onde, por fim, deverá também encontrar o presidente da Polônia, país aliado da Otan e que faz fronteira com a Ucrânia / Foto: Adam Schultz/Official White House

Neste resumo você encontrará alguns desses tópicos:

  • Porta-voz do governo russo não descarta uso de arsenal nuclear em caso de ‘ameaça existencial’ ao país; Biden viaja à Europa e terá reunião da Otan;
  • Em áudio, ministro da Educação diz que Bolsonaro orienta liberação de verba da pasta para municípios indicados por 2 pastores que não têm cargo no governo;
  • Fachin cobra adesão do Telegram à parceria com TSE para combater fake news na eleição; STJ condena Dallagnol a indenizar Lula por Power Point em 2016.

Este resumo foi enviado por volta das 8h para mais de 3,5 mil leitores do Correio Sabiá no WhatsApp. Clique aqui para receber.

Clique aqui para acessar a notícia da Agenda da Semana, onde você encontrará os principais eventos políticos e econômicos esperados para os próximos dias.

Clique aqui para se INSCREVER no Sabiá no Ar, o podcast diário do Correio Sabiá no Spotify.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Para ficar de olho hoje:

  • Guerra. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viaja à Europa e tratará sobre a guerra com aliados da Otan.

Agora, pegue seu café e vamos ao resumo de notícias:

Guerra. O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, disse nesta terça-feira (22) que a Rússia não descartou o uso do seu arsenal nuclear em caso de “ameaça existencial” ao país. Em fevereiro, o presidente russo Vladimir Putin colocou em alerta as suas forças nucleares. Rússia e Estados Unidos têm quase 90% das armas desse tipo no mundo. 

Viagem à Europa. O presidente norte-americano Joe Biden embarca hoje para a Europa, onde participa em Bruxelas, na Bélgica, de encontro do G7, grupo das 7 economias mais industrializadas do mundo. 

A viagem deve ter duração total de 3 dias. Biden deve chegar à Europa na noite de hoje, quarta-feira. Amanhã, na quinta (24), terá encontro da cúpula da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliança militar liderada pelos Estados Unidos. A guerra na Ucrânia deverá ser o principal assunto na pauta.

Mais. Durante esses encontros, é esperado que Biden discuta e anuncie novos esforços para impor custos econômicos à Rússia por causa do conflito contra os ucranianos.

Na sexta-feira (25), Biden viaja para a Polônia, onde encontra com o presidente daquele país. A Polônia é um país integrante da Otan e que faz fronteira com a Ucrânia. É um dos principais destinos dos refugiados, que a esta altura já são cerca de 3,5 milhões.

Ucrânia. Nesta terça-feira, uma série de cidades ucranianas amanheceram com disparos de sirenes por causa de ataques aéreos dos russos. Edifícios residenciais teriam sido atingidos, segundo os veículos locais de comunicação.

Mais. Enquanto isso, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acusou Putin de tentar justificar um eventual uso de armas químicas e biológicas. Na versão de Biden, o presidente russo diz que a Ucrânia tem armas químicas para justificar o uso das armas que ele próprio tem, como se fosse uma defesa.

Acordos de paz. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, pediu ajuda ao Papa Francisco para negociar um acordo de cessar-fogo com a Rússia. Já o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Antonio Guterres, disse que essa guerra não é vencível e, mais cedo ou mais tarde, terá que passar para as mesas de negociações de paz. A questão, disse ele, é quantas vidas mais terão que ser perdidas e quantas bombas ainda terão que cair.

Educação. No Brasil, um áudio divulgado pelo jornal Folha de S.Paulo mostrou o ministro Milton Ribeiro (Educação) numa conversa com prefeitos, dizendo que, a pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL), repassa verba a municípios indicados por 2 pastores.

Mais. Na gravação, Ribeiro diz que “a prioridade” é atender aos municípios que mais precisam e, em segundo, atender “a todos que são amigos do pastor Gilmar”. Milton Ribeiro, o ministro da Educação, é pastor. Bolsonaro, o presidente, tem nos evangélicos uma de suas principais bases de apoio. E Gilmar, o pastor mencionado no áudio, não tem cargo no governo, mas é presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus do Brasil. Milton Ribeiro diz que essa priorização foi “um pedido especial” do presidente da República. 

Outro pastor que teria participação na indicação de verbas é Arilton de Moura, que também não tem cargo no governo, mas acumula 18 reuniões registradas em agenda oficial com o ministro Milton Ribeiro na sede do MEC (Ministério da Educação) só no ano passado.

Contexto. Foi a Folha de S. Paulo que divulgou os áudios de Milton Ribeiro. Mas, inicialmente, foi o Estadão que publicou que pastores controlam a agenda e a liberação de verbas do MEC. Os 2 pastores seriam uma espécie de lobistas junto ao Ministério da Educação. É como se fosse um gabinete paralelo dentro da Educação, controlado por pastores.

Ouro. o Estadão também mostrou que o prefeito Gilberto Braga, do município de Luis Domingues, no Maranhão, disse em áudio que Arilton cobrou dele 1kg de ouro e dinheiro em troca da liberação de dinheiro para a cidade. 1kg de ouro equivale a mais de R$ 300 mil.

Em nota, o ministro Milton Ribeiro falou que, “diferentemente do que foi veiculado, a alocação dos recursos ocorre seguindo a legislação orçamentária”.

Telegram. O ministro Edson Fachin, que integra o STF (Supremo Tribunal Federal) e preside o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), cobrou mais uma vez –esta já é a 3ª ocasião– que o aplicativo de mensagens Telegram faça adesão à parceria com a Corte Eleitoral para combater fake news nas eleições. O TSE já firmou parcerias com algumas das principais plataformas, como Google, Twitter, Facebook, TikTok, Instagram, YouTube, etc. Em suma, apenas o Telegram não integrou a parceria.

Mais. O Telegram é justamente uma das redes mais usadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), que comumente faz pedidos em suas outras redes para que seus apoiadores o acompanhem nesse aplicativo de mensagens, onde já tem mais de 1,2 milhão de seguidores.

Contexto. O ministro Alexandre de Moraes, que também integra o STF e é o vice-presidente do TSE, determinou a suspensão do Telegram na última sexta-feira (18). No entanto, ele próprio revogou a decisão no domingo (20), depois que o aplicativo atendeu a suas exigências. Moraes, contudo, ganhou respaldo interno dos demais colegas do STF ao enfrentar o aplicativo.

O presidente Jair Bolsonaro não gostou da decisão, e disse que Moraes faz uma perseguição “implacável” contra ele. O ministro acumula uma série de decisões e determinações desfavoráveis ao presidente da República.

Economia. O Banco Central divulgou ontem a ata da reunião da semana passada que decidiu pelo aumento da taxa básica de juros, a Selic, em 1 ponto percentual, de 10,75% para 11,75%. O documento era esperado por investidores para alinhar as expectativas sobre como devem ser os próximos apertos da taxa. O documento indica uma nova alta de 1 ponto percentual, mas deixando as portas abertas para um ajuste ainda mais agressivo.

Mercado. O etanol e 6 alimentos não pagarão imposto para entrar no país até o fim do ano. A redução a zero das alíquotas foi anunciada na segunda-feira (21) à noite pelo Ministério da Economia, mas a medida está sendo publicada no Diário Oficial da União (DOU) de hoje, quarta-feira (23).

Mais. Também como forma de tentar conter a alta dos preços, os governadores decidiram nesta terça-feira (22) prorrogar o congelamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre a gasolina por mais 3 meses e adotar uma alíquota única do imposto para o diesel, conforme lei aprovada recentemente pelo Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). No entanto, a medida será oficialmente definida numa reunião do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) na próxima quinta-feira (24).

Caso Powerpoint. Por 4 votos a 1, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) definiu ontem, terça-feira, que Dallagnol terá que indenizar o ex-presidente Lula. Os ministros entenderam que, em 2016, ocasião de apresentação de um Powerpoint, o então procurador cometeu “excesso” ao responsabilizar e acusar o ex-presidente por supostamente chefiar uma organização criminosa. A multa foi fixada em R$ 75 mil, mas o valor total da indenização, com juros e correção monetária deve superar os R$ 100 mil. Ainda cabe recurso.

Contexto. Em 2016, o então procurados da Lava-jato Deltan Dallagnol fez uma apresentação de power point na qual vários itens, como “governabilidade corrompida”, “mensalão”, “petrolão”, etc. apontavam para um elemento central, que era o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Isto é, se tratou de um slide em que vários elementos periféricos acusatórios apontavam para um elemento central, escrito “Lula”.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Campanha de apoio do Correio Sabiá: Vacina contra a desinformação