Resumo de notícias #740 do Sabiá (17.mar) - Comece o dia voando

Resumo de notícias #740 do Sabiá (17.mar) - Comece o dia voando

Resumo de notícias #740 do Sabiá (17.mar) – Comece o dia voando

Presidente da Ucrânia discursa por videoconferência ao Congresso dos EUA e pede ajuda militar

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou mais US$ 800 milhões para a Ucrânia / Foto: Adam Schultz/Official White House

Neste resumo você encontrará alguns desses tópicos:

  • Presidente da Ucrânia discursa por videoconferência ao Congresso dos EUA e pede ajuda militar; EUA anuncia mais US$ 800 milhões à Ucrânia;
  • Rússia e Ucrânia avançam em negociações por cessar-fogo; ambos os países dizem que acordo por neutralidade está mais próximo;
  • Copom eleva taxa básica de juros de 10,75% para 11,75%; Bolsonaro diz que Petrobras não “colabora em nada” e, por ele, poderia ser privatizada hoje

Este resumo foi enviado por volta das 8h para mais de 3,5 mil leitores do Correio Sabiá no WhatsApp. Clique aqui para receber.

Clique aqui para acessar a notícia da Agenda da Semana, onde você encontrará os principais eventos políticos e econômicos esperados para os próximos dias.

Clique aqui para se INSCREVER no Sabiá no Ar, o podcast diário do Correio Sabiá no Spotify.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Para ficar de olho hoje:

  • Congresso. Senadores e deputados federais analisam 31 vetos do presidente Jair Bolsonaro (PL). Entre esses itens estão temas relativos à proposta de privatização da Eletrobras, ao Programa de Estímulo ao Transporte por Cabotagem (BR do Mar), ao Orçamento e à venda direta do etanol.
  • IBGE. O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulga a Pesquisa Mensal de Serviços de janeiro.
  • Prévia do PIB. Divulgação do IBC-Br, chamado de “prévia do PIB”, do Banco Central.
  • Estados Unidos. Divulgação dos dados de produção industrial dos EUA em fevereiro.
  • Inglaterra. Banco Central da Inglaterra decide se voltará ou não a subir juros.

Agora, pegue seu café e vamos ao resumo de notícias:

Ucrânia. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, conversa hoje por videoconferência com congressistas alemães. Zelenskiy fez ontem um discurso, também por videoconferência, para o Congresso dos Estados Unidos. Ele citou o 11 de Setembro e pediu ajuda militar aos norte-americanos. Os congressistas aplaudiram o ucraniano.

Estados Unidos. Já o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou mais US$ 800 milhões em ajuda à Ucrânia. A gente lembra aqui que no último dia 10, quinta-feira, os Estados Unidos aprovaram um projeto que incluía a destinação de mais de US$ 13 bilhões à Ucrânia.

Rússia. Enquanto isso, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que seu país vai atingir seus objetivos militares em território ucraniano. E a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), aliança militar liderada pelos Estados Unidos, avalia a mobilização de forças adicionais para o leste europeu.

Cessar-fogo. Apesar dessas, digamos, animosidades, o presidente ucraniano também disse que as conversas com a Rússia agora soam mais realistas. E a Rússia disse que um acordo sobre neutralidade está mais próximo. Funcionaria da seguinte forma: a Ucrânia desistiria de entrar para a Otan, mas poderia manter suas Forças Armadas.

Contexto. O fato é que Rússia e Ucrânia já veem uma chance de acordo em meio à retomada das negociações por um cessar-fogo. Houve novas rodadas de conversas nesta quarta-feira, como a gente noticiou que ocorreria no último episódio. E, nessas conversas, os países já tratam de uma opção para a Ucrânia que funcionaria mais ou menos como é para Áustria e Suécia: ambos integram a União Europeia, mas estão fora da aliança militar.

Mais. O Banco Mundial disse que as sanções econômicas terão mais impacto na inflação global do que a guerra em si.

Economia. O Copom (Comitê de Política Monetária) concluiu nesta quarta-feira sua reunião, que foi iniciada na última terça (15) –sim, são 2 dias de reunião do Copom, sempre– e decidiu elevar a taxa básica de juros, a Selic, de 10,75% para 11,75%. O aumento, conforme decidiu o Copom, ocorre por causa da inflação persistentemente elevada. O comitê destacou que o cenário externo “se deteriorou substancialmente” e que o “conflito entre Rússia e Ucrânia levou a um aperto significativo das condições financeiras e aumento da incerteza em torno do cenário econômico mundial”.

Mais. O Copom ainda afirmou que “o choque de oferta decorrente do conflito tem o potencial de exacerbar as pressões inflacionárias que já vinham se acumulando tanto em economias emergentes quanto avançadas” e que a “inflação ao consumidor seguiu surpreendendo negativamente”.

Contexto. O Boletim Focus divulgado na última segunda-feira (14) elevou a previsão de inflação de 5,65% para 6,45% ao ano. Essa mudança ocorreu, principalmente, por causa do avanço no preço dos combustíveis, que tende a aumentar ainda mais.

Petróleo. A política de preços da Petrobras é baseada na cotação do barril do petróleo no mercado internacional. A estatal anunciou reajuste nos valores da gasolina, do diesel e do gás de cozinha aos distribuidores na última quinta (10), começando a valer desde a última sexta (11).

Petrobras. Já nesta quarta (16), o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar a Petrobras. Ele disse que a empresa não colabora com nada e que, para ele, poderia ser privatizada hoje. Essa crítica já se junta a diversas outras feitas pelo próprio Bolsonaro. A diferença é que, com a escalada dos preços, uma série de outras autoridades, entre elas os presidentes do Senado e da Câmara, também começaram a reclamar da petroleira. E, além de combustíveis e da energia elétrica, o valor dos alimentos também está ficando cada vez maior. O pão francês deve ficar 20% mais caro por causa da guerra na Europa.

Estados Unidos. Não foi apenas no Brasil que houve aumento da taxa básica de juros. Nos Estados Unidos, o Fed (Federal Reserve) anunciou a 1ª elevação dos juros desde 2018. Essa elevação já era bem aguardada pelo mercado, que esperava o início do seu ciclo de aperto monetário em março. A dúvida não era se haveria o aperto, mas sim de quanto seria. Bom, essa dúvida acabou. A alta foi de 0,25 ponto percentual, o que jogou a taxa para um intervalo entre 0,25% e 0,5%. Ainda deve haver mais 6 altas no ano. 

Ibovespa. O Ibovespa subiu quase 2% nesta quarta-feira. Para ser mais exato, a Bolsa brasileira teve alta de 1,98% e fechou a 111.112 pontos, perto da máxima do dia, que foi de 111.183 pontos. O volume financeiro foi bem alto, de R$ 44,1 bilhões. O índice chegou a perder força depois do anúncio de ajuste da taxa de juros norte-americana, mas voltou a ganhar força após fala do presidente do Banco Central americano, Jerome Powell, sobre a economia dos Estados Unidos ser resistente a uma política de aperto monetário.

Senado. Há quase três anos em tramitação no Senado, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 110/2019, que prevê alterações no sistema tributário brasileiro, já tinha recebido até a tarde desta quarta-feira (16) um total de 251 emendas na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A proposta foi debatida ontem pelos senadores que integram a CCJ — o texto pode ir a votação nesse colegiado na próxima semana.

Financie o nosso jornalismo independente. Precisamos de você para continuar produzindo um material de qualidade.

Campanha de apoio do Correio Sabiá: Vacina contra a desinformação

leia mais