PIB: entenda o que é 'recessão técnica'

PIB: entenda o que é 'recessão técnica'

Entenda o que é ‘recessão técnica’

PIB do 3º trimestre apresentou queda de 0,1% em relação aos 3 meses anteriores, segundo o IBGE. Veja o que isso indica
'Recessão técnica': PIB do Brasil apresenta 2ª queda consecutiva / Foto: Ümit Yıldırım/Unsplash
Brasil entra em ‘recessão técnica’ após 2ª queda consecutiva do PIB / Foto: Ümit Yıldırım/Unsplash

O que você vai encontrar na reportagem abaixo, em tópicos:

  • O que é ‘recessão técnica’?
  • O que é uma recessão de fato?
  • O Brasil está em recessão de fato?
  • Análises do PIB do 3º trimestre

O PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro caiu 0,1% no 3º trimestre deste ano, comparado aos 3 meses imediatamente anteriores, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) Contínua, feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os dados foram divulgados nesta 5ª feira (02.dez.2021). 

Apesar da alta de 1,1% nos serviços, que respondem por mais de 70% do PIB, o índice foi influenciado para baixo principalmente por causa da queda de 8,0% na agropecuária e também pelo recuo de 9,8% nas exportações de bens e serviços. Já a indústria ficou estável (0,0%).

Como o PIB já tinha apresentado variação negativa de 0,4% no 2º trimestre, considera-se que o Brasil entrou numa “recessão técnica”. Mas, afinal, você sabe o que isso quer dizer? O Correio Sabiá explica abaixo. 

O que é ‘recessão técnica’?

Recessão técnica é exatamente isso: quando a economia do país recua por 2 trimestres consecutivos, como foi o caso agora, considera-se que o país entrou numa recessão técnica.

Para isso, apenas um indicador é levado em consideração: o PIB, que é o resultado de todos os bens e serviços produzidos pelo país.

Todos os outros indicadores são desconsiderados quando se trata de recessão técnica. Então, não se leva em consideração nenhum dado de emprego ou desemprego, por exemplo. Também não são consideradas estatísticas sobre produção industrial ou nível de confiança do consumidor. Nada. Apenas o PIB.

É importante ressaltar que a chamada recessão técnica não quer dizer, necessariamente, que o país passa por uma recessão. O Sabiá vai explicar abaixo por quê.

Antes, é importante que você saiba que “recessão técnica” tem alguns problemas. Um deles é o próprio resultado deste trimestre, que foi próximo da estabilidade (-0,1%). Ou seja, por 0,1% o país houve o emprego do termo “recessão”.

Além disso, é comum que, após um tempo, sejam feitas revisões no PIB (por conta de atualizações de dados, por exemplo), o que pode fazer o resultado atual passar a ser positivo, naturalmente.

Outro problema é que o país pode estar indo bem, de maneira geral, mas um setor específico estar passando por um momento difícil e puxar o resultado todo para baixo. No caso atual, o agronegócio apresentou forte retração.

  • Clique aqui para receber o resumo do Correio Sabiá no seu WhatsApp
Queda do PIB foi puxada pelo agronegócio/Foto: Marta Ortigosa/Unsplash
Queda do PIB foi puxada pelo agronegócio/Foto: Marta Ortigosa/Unsplash

O que é uma recessão de fato?

Neste caso, uma recessão de fato é caracterizada por um conjunto de fatores –e não simplesmente pelo resultado negativo do PIB em 2 trimestres consecutivos. Ou seja, é o “conjunto da obra”, quando país passa por uma deterioração profunda de sua situação econômica.

A recessão de fato considera, por exemplo, indicadores de emprego, atividade industrial e vendas do comércio.

O Brasil está em recessão de fato?

Não. A recessão técnica é um sinal de alerta. Indica que algo não foi bem. Mas, no caso brasileiro, a recessão foi causada por quedas de 0,4% e 0,1% no 2º e no 3º trimestres, respectivamente. Portanto, 2 recuos próximos da estabilidade que permitiram a denominação de “recessão”.

Para que se considere uma recessão de fato era preciso um conjunto de fatores estar negativo, o que não é o caso atual. Pode vir a ser, mas ainda não é.

No acumulado de janeiro a setembro, o PIB nacional cresceu 5,7%. O país vai fechar o ano com um PIB positivo e os indicadores do mercado de trabalho, por exemplo, têm mostrado redução do desemprego.

  • Clique aqui para receber o resumo do Correio Sabiá no seu WhatsApp

Veja abaixo a evolução trimestral do PIB brasileiro:

Fonte: Contas Nacionais Trimestrais/IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)
Fonte: Contas Nacionais Trimestrais/IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)

Análises do PIB do 3º trimestre

Veja abaixo o resultado PIB do 3º trimestre a partir de diferentes comparações:

PIB varia -0,1% em relação ao trimestre imediatamente anterior

No terceiro trimestre de 2021, o PIB variou -0,1% frente ao trimestre anterior, na série com ajuste sazonal. A Agropecuária caiu 8,0%, a Indústria ficou estável (0,0%) e os Serviços subiram 1,1%.

PIB cresce 4,0% frente ao mesmo período do ano passado

Em relação a igual período do ano anterior, o PIB cresceu 4,0% no terceiro trimestre de 2021. O Valor Adicionado a preços básicos teve alta de 3,7% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios subiram 6,2%.

PIB acumulado de janeiro a setembro tem crescimento de 5,7%

No acumulado do ano até o terceiro trimestre de 2021, o PIB cresceu 5,7% em relação a igual período de 2020. Nessa comparação, a Indústria (6,5%) e os Serviços (5,2%) registraram variação positiva, enquanto a Agropecuária registrou variação negativa de 0,1%.

Campanha de apoio do Correio Sabiá: Vacina contra a desinformação

leia mais