Entenda o que é 'voto útil' e como ele pode definir a eleição de 2022

Entenda o que é 'voto útil' e como ele pode definir a eleição de 2022

Entenda o que é ‘voto útil’ e como ele pode definir a eleição de 2022

Correio Sabiá lista vantagens e desvantagens do voto útil, considerando o contexto do Brasil atual
Voto útil: contestação de resultado eleitoral no 1º turno é mais complexa e financeiramente custosa do que no 2º turno / Foto: Ana Volpe/Senado Federal
Voto útil: contestação de resultado eleitoral no 1º turno é mais complexa e financeiramente custosa do que no 2º turno / Foto: Ana Volpe/Senado Federal

Há uma série de notícias nestes dias sobre “voto útil”. No entanto, é possível que você não saiba exatamente o que significa a expressão. Ao menos, essa foi uma das dúvidas enviadas no canal que o Correio Sabiá abriu para que você possa tirar dúvidas diretamente com esta startup.

Considerando que esta é uma semana decisiva –com eleição no próximo domingo (02.out.2022)–, o Correio Sabiá criou um canal (via formulário) para tirar dúvidas dos leitores. O preenchimento leva menos de 1 minuto.

Assobio: acreditamos que a interação entre leitores e jornalistas é essencial para um Jornalismo cada vez mais adequado ao que você precisa. Estamos focados em nossa audiência.

Por isso, explicamos agora nesta reportagem o que é o voto útil e como ele pode ser usado como estratégia na eleição.

O que é voto útil

Voto útil é aquele voto tático, em que o eleitor faz um cálculo e abre mão de votar no seu candidato preferido para votar naquele candidato com mais chances de derrotar quem ele rejeita.

Dessa maneira, o voto útil é dado pelo eleitor para tentar evitar a vitória daquele candidato que ele não quer de jeito nenhum que ganhe a eleição, já que ele considera que seu candidato preferido está fora do páreo.

De um jeito mais concreto, dando nome aos bois: talvez você esteja vendo notícias sobre voto útil no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ou no presidente Jair Bolsonaro (PL). Isso ocorre porque há eleitores que rejeitam um ou outro.

Assim, eleitores que normalmente votariam em outros candidatos acabam desistindo desse voto para fazer um voto útil em Lula ou Bolsonaro.

A campanha de Lula, por exemplo, tem se dedicado a pedir o voto útil de eleitores que normalmente votariam em Ciro Gomes (PDT) no 1º turno. Assim como Lula, Ciro está mais alinhado ao campo da esquerda, o que tornaria plausível que parte relevante de seu eleitorado preferisse uma vitória de Lula ante Bolsonaro.

Quais são as vantagens do voto útil

Uma das principais vantagens do voto útil é evitar uma possível vitória em 2º turno daquele candidato rejeitado pelo eleitor que optou pelo voto útil.

Em outras palavras, o eleitor que não quer de jeito nenhum que Bolsonaro vença, pode optar por um voto em Lula ainda no 1º turno para evitar correr o risco de uma vitória de Bolsonaro no 2º turno.

O mesmo vale para a situação inversa: o eleitor que não quer de jeito nenhum que Lula vença pode optar por votar em Bolsonaro, mesmo que este não seja seu candidato preferido, para evitar uma eventual vitória do petista em 2º turno.

Dessa forma, o voto útil ocorre por uma avaliação (um cálculo) do eleitor, que julga que seu candidato preferido não tem chances de vencer, então opta por dar seu voto a um candidato que tenha chances reais de derrotar o concorrente que ele não quer de forma alguma que ganhe a eleição.

Talvez você já tenha escutado por aí a expressão “jogar o voto no lixo”. Quem argumenta a favor do voto útil afirma que votar num candidato que não tem a menor chance de vitória é jogar o voto fora.

Assim, o voto útil num candidato com mais chances de vencer o pleito é uma forma de tentar sacramentar a eleição já no 1º turno para evitar que aquele concorrente que o eleitor não quer que ganhe de jeito algum possa sair vitorioso num 2º turno.

Quais são os argumentos contra o voto útil

Por outro lado, quem argumenta contra o voto útil afirma que no 1º turno o eleitor deve expressar sua opinião política e dar o voto para mostrar quem ele realmente gostaria de ver vitorioso.

Dar o voto para um outro candidato que não é aquele que você realmente quer ver vitorioso pode enfraquecer a representatividade das ideias do concorrente da sua preferência.

Além disso, definir a eleição no 1º turno implica também, teoricamente, no menor debate de ideias. Um 2º turno, inevitavelmente, leva os candidatos a terem que expor mais as suas ideias ao debate público.

O voto útil no Brasil de 2022

O presidente Jair Bolsonaro (PL) contesta há anos a credibilidade do sistema eleitoral brasileiro, a ponto de tentar levar adiante a ideia de voto impresso (já descartada).

Se a eleição deste ano fosse definida em 1º turno, seria potencialmente muito mais difícil de ser contestada. Isso porque o 1º turno envolve ainda as escolhas da população para milhares de cargos, como deputados estaduais (e distritais, no caso do Distrito Federal), deputados federais e senadores, funções que não têm 2º turno.

Ou seja, contestar um resultado dessa magnitude é um trabalho muito mais árduo do que contestar um pleito que envolve apenas alguns 2º turno pontuais para Presidência da República e governos estaduais.

leia mais