🪖 Israel x Hamas: tudo o que sabemos até agora (atualizações constantes)

🪖 Israel x Hamas: tudo o que sabemos até agora (atualizações constantes)

? Israel x Hamas 2023: o que sabemos até agora [atualizações frequentes]

Esta reportagem foi publicada originalmente no dia 11.out.2023, às 19h35, e tem atualizações a cada nova notícia da guerra
Israel bombardeou a Faixa de Gaza / ? Mohammed Ibrahim/Unsplash
Imagem mostra bombardeios na Faixa de Gaza / ? Mohammed Ibrahim/Unsplash

?‍⬛ Assobio: escrever de longe sobre o conflito que envolve atores como Israel, Hamas e Palestina sem reproduzir vieses e/ou estigmas históricos é uma questão complexa, porque a região é cheia de disputas e preconceitos. Esperamos que entendam e que nos ajudem com feedbacks, tanto elogiosos quanto críticos. No final, o que importa é que saibam que estamos dando nosso melhor para fazer um trabalho bem-feito para vocês e que também estamos abertos a escutar vocês. ? Este é um humilde convite para construirmos um Jornalismo interativo. ?? Se necessário, nos corrijam. É possível fazer isso por mensagem privada no WhatsApp ou pelas nossas redes sociais (@correiosabia). Vamos voar juntos. ?

Dividimos esta reportagem em 3 partes: 1) Informações-chave; 2) Últimas atualizações; 3) Pontos de vista e análises que achamos interessantes; e 4) O que pensam os leitores do Correio Sabiá sobre o conflito Israel x Hamas. Há atualizações permanentes, a cada novidade do noticiário. Voe abaixo.

1) Informações-chave ?

  • ? Como começou a guerra entre Israel e Hamas? O conflito Israel x Hamas que vem sendo noticiado na imprensa começou no dia 7 de outubro de 2023, um sábado, depois que o Hamas atacou Israel de surpresa (maior ataque dos últimos 50 anos), matou centenas de pessoas (a maioria, civis) e sequestrou diversas outras (cerca de 150, de distintas nacionalidades). Os detalhes do início desta guerra foram explicados na curadoria do Correio Sabiá do dia 9 de outubro, uma segunda-feira. Leia aqui.
  • ? Quantas pessoas morreram no conflito Israel x Hamas em 2023? Até a última atualização desta reportagem, cerca de 3,6 mil pessoas tinham morrido nos 2 lados, sendo cerca de 2,3 mil palestinos e 1,3 mil israelenses. A maioria são civis. Há 3 brasileiros confirmados entre as vítimas. Adicionalmente, Israel disse ter encontrado 1,5 mil guerrilheiros do Hamas mortos no dia 10 de outubro. Há também cerca de 12,1 mil pessoas feriadas, sendo 8,7 mil palestinas e 3,4 mil israelenses.
  • ?‍☠️ O que é o Hamas? Hamas, pelo nome, quer dizer Movimento de Resistência Islâmica. ✊? É o maior grupo militante islâmico da Palestina, considerado “terrorista” por Israel, Estados Unidos, União Europeia e Reino Unido. ?‍☠️ Desde 2007, quando foi eleito (não houve mais eleições desde então), o grupo controla a Faixa de Gaza.
  • ?️ O que é a Faixa de Gaza? A Faixa de Gaza é um território com 41 km de comprimento por 10 km (média) de largura. Fica entre Israel, Egito e Mar Mediterrâneo. ?️ A área é pequena mas super populosa, sendo uma das mais densas do mundo, com cerca de 2,3 milhões de pessoas. São 9 mil pessoas a cada km². ? Cuidado para não confundir: dentro da “Faixa de Gaza”, existe a “Cidade de Gaza” (Gaza City). ? 
  • ?? Por que o Brasil não considera o Hamas terrorista? O Brasil, ao menos até agora, não considera o Hamas um grupo terrorista. Isso porque o governo brasileiro só considera terroristas aqueles dessa forma classificados pela ONU (Organização das Nações Unidas), casos de Boko Haram, Al-Qaeda e Estado Islâmico. ??
  • ? Contexto: Desde 2007, Israel mantém um bloqueio à Faixa de Gaza, que consiste no isolamento social, econômico e comercial da região, garantido pelo controle militar das fronteiras em terra, água e ar. O Egito colabora com Israel. Essa opressão aos palestinos ficou mais acentuada recentemente, desde que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, envolto em suspeitas de corrupção, retomou o poder. Existe um abismo social entre palestinos e israelenses, que se reflete em poder militar (*para se ter ideia: além de uma poderosa aliança com os Estados Unidos, israelenses têm drones de última geração e contam com uma “Cortina de Ferro” contra mísseis –um sistema sofisticado contra disparos aéreos–, enquanto os militantes do Hamas invadem territórios, às vezes, de parapentes ou a pé).

2) Últimas atualizações ?

12.jan.2024: Não somos entendidos no assunto, mas conhecemos gente que é. Filtramos análises sobre a adesão do Brasil à denúncia protocolada pela África do Sul contra Israel para te ajudar a entender as notícias.

  • Thiago Amparo é professor de Relações Internacionais da FGV (Fundação Getulio Vargas).
  • Rodrigo Bulamah é antropólogo e professor da Uerj (Universidade do Estado do Rio de Janeiro).

12.jan.2024: Por outro lado, o IBI (Instituto Brasil-Israel) criticou o posicionamento brasileiro.

12.jan.2024: Num texto no ConJur (Consultor Jurídico), o professor de Direito Internacional na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) Lucas Lima analisou o processo da África do Sul. A Al Jazeera também publicou uma reportagem (em inglês) com argumentos da África do Sul.

10.jan.2024: O governo Lula declara apoio à denúncia por crimes que “possam constituir genocídio” feita pela África do Sul contra Israel na Corte de Haia, após reunião do presidente com o embaixador da Palestina no Brasil.

  • Em nota, o governo brasileiro volta a condenar “os ataques terroristas” do Hamas, ao mesmo tempo em que afirma que “tais atos não justificam o uso indiscriminado, recorrente e desproporcional de força por Israel contra civis.”

29.nov.2023: Fim da trégua entre Israel e Hamas.

27.nov.2023: Trégua prorrogada até quarta-feira (29) para troca de reféns e prisioneiros entre Hamas e Israel. O acordo de trégua acabaria no dia 27, uma segunda-feira.

26.nov.2023: 3º dia de libertação de reféns. O acordo de trégua tem vigência de 4 dias, ou seja, acabaria no dia 27. No entanto, existe a possibilidade de estender o acordo até quarta-feira, dia 29 (sim, existe a expectativa de extensão do acordo; as negociações estão em andamento).

  • Reféns e prisioneiros estão sendo entregues a agentes da Cruz Vermelha perto da fronteira de Gaza com o Egito. O Egito participa das negociações, fazendo intermediação.

26.nov.2023: O primeiro-ministro israelense Benjamin Natanyahu visita a Faixa de Gaza.

  • Região Norte de Gaza continua separada do Sul. Orientação é que, mesmo na trégua, cidadãos se mantenham no Sul. (Relembre: o governo israelense disse que os palestinos deveriam deixar o Norte, principal alvo dos bombardeios israelenses).

24.nov.2023: Hamas e Israel trocam reféns e prisioneiros. Acordo de cessar-fogo começa a valer. Logo depois de começar a validade do acordo, um momento de tensão: sirenes de alerta de bombas disparam em Israel.

⚠️ 21.nov.2023: Israel e Hamas fecham acordo por um cessar-fogo temporário. Serão libertados 50 reféns que estão com o Hamas (há um total de cerca de 240 reféns). Já Israel vai libertar 150 prisioneiros palestinos. O cessar-fogo começa assim que o 1º refém cruzar a Faixa de Gaza.

18.nov.2023: Israel e o Hamas teriam chegado a um acordo preliminar para um cessar-fogo, com libertação de reféns. Ou seja, houve avanço na negociação, segundo informação do jornal Washington Post.

15.nov.2023: Israel faz operação dentro do maior hospital da Faixa de Gaza, interrogando civis e mantendo um cerco ao local. ? O caso é criticado por diversas organizações, como a ONU (Organização das Nações Unidas) e a OMS (Organização Mundial da Saúde). ?

  • Por outro lado, Israel diz ter encontrado armas e estruturas do Hamas. ?
  • O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, declara que não há lugar da Faixa de Gaza que seu exército não possa alcançar. ??

15.nov.2023: Conselho de Segurança da ONU aprova sua 1ª resolução sobre a crise humanitária e de reféns em Gaza. ?✔️? Texto pede pausa e corredores humanitários urgentes para prestar ajudar emergencial à população civil, aumentando a pressão sobre Israel. ? No entanto, é incerto que a resolução gere efeitos práticos. ?

  •  Israel diz, na figura do seu embaixador, que a resolução é “desligada da realidade e não tem sentido”. ?

12.nov.2023: A previsão de chegada ao Brasil dos brasileiros que estavam em Gaza é nesta segunda-feira (13.nov), como o Correio Sabiá mostra em sua Agenda da Semana (13 a 19.nov), que dá previsibilidade aos acontecimentos destes dias.

12.nov.2023: Esperada para a última sexta (10), a saída dos brasileiros de Gaza só ocorreu neste domingo (12). Já estão no Egito. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comemorou.

12.nov.2023: Lembra dos brasileiros que foram presos recentemente pela PF (Polícia Federal) acusados de elo com o terrorismo? Então, em audiência, a defesa disse que eles nem sequer sabiam o que era Hezbollah.

11.nov.2023: Israel fez uma revisão do número de mortes da guerra no seu lado: de 1,4 mil, caiu para 1,2 mil. Entre os motivos (para Israel achar que havia mais mortes do que realmente teve): corpos mutilados (dando a impressão de que era mais gente) e militantes do Hamas com uniforme do exército israelense.

11.nov.2023: Netanyahu faz outro pronunciamento com direito a perguntas. É o 2º. Disse ser contra o recolonizamento de Gaza (com assentamentos). Também falou que os reféns que o Hamas mantém são prioridade, mas escapou de dar detalhes sobre como pretende resgatá-los. Mais detalhes estão abaixo na análise do João Koatz Miragaya, do site Conexão Israel.

10.nov.2023: Fronteira em Gaza é fechada. Retorno de brasileiros (mencionado abaixo) deve ficar para sábado (11). Ou seja, a cada dia que passa, retorno é adiado.

10.nov.2023: É esperada para esta data que um grupo de mais de 30 brasileiros deixe a Faixa de Gaza. ? São 18 crianças, 10 mulheres e 6 homens. As fronteiras abriram há mais de uma semana, e eles aguardam desde então pela liberação. ?

  • Contexto: Essa espera frustrou as expectativas iniciais da diplomacia do Brasil, que esperava uma autorização mais rápida. ? O Brasil não esteve na lista dos primeiros contemplados para retirar cidadãos da região. ?
  • Mais: Ao não ser contemplado com as primeiras retiradas, o governo passou a esperar a última quarta-feira (8) como prazo máximo. ⏳ Por fim, tudo indica que o retorno deles será neste dia 10. ⌛️

9.nov.2023. Climão. Governo brasileiro descontente com várias atitudes do embaixador de Israel no país, Daniel Zonshine. Anteriormente, ele associou o PT, partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao terrorismo e ao Hamas. Recentemente, participou de reunião no dia 8 ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro, no Congresso.

  • Contexto: O evento era para ser uma exposição sobre a guerra aos congressistas. Bolsonaro não tem mandato, mas lá estava. Tem o direito, como qualquer cidadão. A conjuntura política e as práticas diplomáticas, no entanto, tornam a situação embaraçosa.

9.nov.2023: Em fatos novos, Zonshine comentou a operação da PF (leia abaixo). Disse que, “se estão vindo para o Brasil, é porque tem gente que os apoia”.

8.nov.2023: No Brasil, a PF (Polícia Federal) prende 2 brasileiros suspeitos de ligação com o Hezbollah, grupo extremista de origem libanesa. ???? Estariam planejando atentados terroristas contra comunidades judaicas no país. ?

  • O ministro Flávio Dino (Justiça e Segurança Pública) diz que, por enquanto, trata-se de uma investigação. ??
  • Em análise (destacamos abaixo neste mesmo texto), o editor do site Conexão Israel, João Miragaya, disse que esta seria uma maneira de mostrar que nenhum judeu do mundo está seguro enquanto existir o Estado de Israel. ??⚠️

8.nov.2023: Em entrevista, o ex-primeiro-ministro da França (2005-2007) e diplomata de carreira Dominique de Villepin (prestigiado pela direita francesa) critica as ações de Israel em Gaza. Veja abaixo, na seção de análises. ???

“Mais uma vez, vamos parar de perguntar sobre responsabilidade; vamos olhar para a realidade do que está acontecendo no terreno! Atribuição de culpa, permita-me dizer-lhe, deixaremos para os historiadores. ??? O que queremos é acabar com esta violência, acabar com estes massacres. ? Israel está a colocar-se em perigo, ainda mais hoje, com este tipo de guerra e estes tipos de ataques.” ⚰️?

Dominique de Villepin

7.nov.2023: O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, confirma que perguntou ao primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, sobre uma pausa humanitária. ???️??

7.nov.2023: Forças israelenses divulgam o nome de 2 soldados mortos no conflito. 

6.nov.2023: Secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres diz que a Faixa de Gaza está se tornando um “cemitério de crianças”. ??⚰️

6.nov.2023: Já há 88 funcionários mortos da ONU e relatos de doenças infecciosas e respiratórias, além da miséria causada pelo desabastecimento na região. ?‍??? Instituições têm pedido um cessar-fogo, que até agora não ocorreu. ???️?️

6.nov.2023: Um palestino de 16 anos esfaqueou ontem (6) 2 policiais em Jerusalém. ???‍♂️??‍♀️ Uma delas, mulher, morreu no hospital. ? O homem foi morto pela polícia. ?

5.nov.2023: Cerca de 9 mil pessoas já morreram em Gaza. Em Israel, número de mortos continua em torno de 1,3 mil.

5.nov.2023: Forças de Israel dizem que 29 soldados morreram desde o início da ofensiva em terra.

5.nov.2023: Hamas diz que cerca de 60 reféns estão desaparecidos desde que Israel começou bombardeios.

3.nov.2023: Comandado pelo Hamas, o Ministério da Saúde de Gaza diz que 15 pessoas morreram e outras 50 ficaram feridas depois de um ataque de Israel contra ambulâncias. Israelenses confirmam autoria e dizem que veículos estavam sendo usados pelo Hamas.

1º.nov.2023: Terminal de Rafah é aberto para a saída de cidadãos estrangeiros de 8 países, além de funcionários do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e de ONGs. Brasileiros ficam fora e seguem aguardando.

1º.nov.2023: 16 soldados israelenses foram mortos desde que começaram as operações em Gaza, informa o Haaretz, um jornal de Israel.

1º.nov.2023: Hamas diz que 7 reféns nesta quarta-feira (1º) morreram depois de bombardeios de Israel.

31.out.2023: Israel bombardeia o maior campo de refugiados em Gaza. ??? Diz que matou terroristas, mas o Hamas fala em dezenas de civis mortos. ? Reportagem do G1 reproduz vídeos e fotos que mostram palestinos escavando em meio aos escombros em busca de sobreviventes. (Cenas pesadas que a gente recomenda que vocês pensem duas vezes antes de ver). ??️ – G1

30.out.2023: Forças israelenses resgatam soldada que tinha sido sequestrada pelo Hamas no dia 7. 

30.out.2023: Israel diz que destruiu esconderijos do Hezbollah (outro grupo extremista) no Sul do Líbano. ??

30.out.2023: Só em Gaza, a quantidade de explosivos (cerca de 12 toneladas) já chega perto da carga despejada pelos Estados Unidos em Hiroshima, no Japão (13 a 15 toneladas), na 2ª Guerra Mundial. ??

30.out.2023:  Israel continua sua investida contra a Cidade de Gaza, a principal cidade da Faixa de Gaza, uma das áreas mais populosas do mundo. ?️?

29.out.2023: Em Gaza, crianças são operadas sem anestesia.

29.out.2023: População de Gaza invade instalações da ONU (Organização das Nações Unidas) em busca de suprimentos, como farinha de trigo e produtos de higiene, por exemplo. São itens básicos de sobrevivência. ONU diz que ordem social está “começando a ruir”.

  • Continuam os pedidos (que já duram semanas) pela criação de um corredor humanitário efetivo, que permita a passagem de suprimentos para a população de Gaza. 

29.out.2023: Forças de Israel bombardeiam alvos do Hezbollah no Líbano, em resposta aos mísseis disparados no Norte de Israel.

29.out.2023: Mortes em Gaza passam de 8 mil, sendo milhares de crianças e mulheres. 

26.out.2023: Israel faz sua maior operação em Gaza, por via terrestre, desde o início da guerra. ??️ (Note: a “invasão” por via terrestre ainda não ocorreu; por enquanto, o que há são operações pontuais). ??‍♂️ As tropas saíram de Gaza depois da ação, que bombardeou alvos do Hamas, segundo as autoridades israelenses. ??

26.out.2023: Hamas diz que os bombardeios já mataram 50 reféns desde o início da guerra. ??

26.out.2023: Avançam negociações para liberar reféns. Governo da Argentina diz que há mais de 20 argentinos nessa condição.

26.out.2023: Embaixador de Israel na ONU (Organização das Nações Unidas) mostra, em discurso, um vídeo de decapitação feita pelo Hamas. ? Em seguida, exibe um QR Code para que as autoridades presentes escaneiem e vejam outras imagens

26.out.2023: Até agora, cerca de 7 mil palestinos (sendo cerca de 3 mil crianças e 1,7 mil mulheres) + 1,3 mil israelenses morreram desde o início da guerra, no dia 7 de outubro. ? Já são 20 dias de conflito.  

25.out.2023: O secretário-geral da ONU Antonio Guterres disse estar “chocado” com as “interpretações erradas” do seu discurso no Conselho de Segurança, como se “estivesse a justificar atos de terror do Hamas”. “Isso é falso. Foi o oposto”, disse.

25.out.2023: O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que o Hamas não é uma “organização terrorista”, mas sim um “grupo de libertação batalhando para proteger sua terra”.

  • Erdogan defendeu um cessar-fogo e falou para os palestinos se unirem por uma solução de 2 Estados. Para ele, o Ocidente deve “parar de colocar combustível no fogo” (popular “lenha na fogueira”). *Para quem não conhece: Erdogan não é conhecido por ser dos mais democráticos líderes globais. 

25.out.2023: Líderes do Hamas e do Hezbollah se reúnem no Líbano. Este é um dos temores de escalada do conflito armado no Oriente Médio que mencionamos no Correio Sabiá logo na 1ª curadoria de notícias essenciais desta semana (na segunda, dia 23), para te situar do que esperar no futuro.

  • *(Uma das coisas mais importantes do Jornalismo que fazemos é filtrar o noticiário; outra, dar contexto. Esses 2 itens juntos ajudam nossa audiência a entender/absorver melhor os conteúdos, ficando mais bem-informada).

24.out.2023: Em discurso no Conselho de Segurança, o secretário-geral da ONU Antonio Guterres falou que “os ataques do Hamas não ocorreram num vácuo”.

  • Guterres: “Os palestinos têm sido submetidos há 56 anos de sufocante ocupação. Viram suas terras sendo divididas por assentamentos, pessoas deslocadas, casas destruídas. Suas esperanças para uma solução política se perdeu. Não podemos justificar os terríveis ataques do Hamas, e esses ataques terríveis não podem justificar a punição coletiva ao povo palestino.” 

24.out.2023: Em resposta, o embaixador de Israel na ONU Gilad Erdan disse que Guterres está “completamente desconectado da realidade” da região e cancelou o encontro que teriam e pediu a renúncia do secretário-geral.

24.out.2023: O ministro das Relações Exteriores de Israel, Eli Cohen, cancela o encontro que teria com Guterres.

24.out.2023: Guterres lembra dos reféns do Hamas e pede a libertação deles.

24.out.2023: Guterres também lembra dos 35 funcionários da ONU que morreram nesta guerra desde o dia 7.

24.out.2023: Guterres diz que apenas 3 comboios (formados por um conjunto de caminhões) com ajuda humanitária foram autorizados a entrar em Gaza. Há muitos outros em espera, formando uma fila quilométrica na fronteira com o Egito. Uma nova tentativa deve ocorrer nesta quarta-feira (25).

24.out.2023: Segue a desassistência de água e energia em Gaza, uma das regiões mais populosas do planeta, com mais de 2 milhões de pessoas num pequeno pedaço de terra.

24.out.2023: Hamas diz que Gaza teve seu dia com mais mortes: 700.

23.out.2023: O Hamas libertou mais 2 ref̩ns, com interm̩dio da Cruz Vermelha, Egito e Qatar. Ṣo duas idosas israelenses, uma de 80 e outra de 85 anos. Junto com duas norte-americanas (ṃe e filha) libertadas, agora ṣo 4 ref̩ns soltos pelo Hamas. РWashington Post (Live Updates)

23.out.2023: O número de mortos em Gaza já passa de 5 mil. Em Israel, cerca de 1,3 mil (quase todos no 1º dia, quando houve ataque do Hamas).

23.out.2023: As investigações têm indicado que a explosão no hospital de Gaza foi mesmo de um míssil da Jihad Islâmica (outro grupo militante extremista) que falhou, e não de Israel.

23.out.2023: Israel atinge mais de 300 alvos com bombardeios em Gaza, que relata mais de 400 mortes.

23.out.2023: Israel diz que tem feito operações pontuais por terra. Ainda não houve a aguardada incursão do Exército por via terrestre. Aliás, os Estados Unidos teriam aconselhado Israel a adiar essa entrada.

22.out.2023: Israel ainda se prepara para entrar em Gaza por terra (sim, temos dito isso há bastante tempo, mas as informações continuam as mesmas. Como é um assunto relevante, consideramos necessário repetir para saber em que pé está essa situação). ?

22.out.2023: Disparo de tanque de Israel atinge o Egito acidentalmente.

22.out.2023: Israel volta a dizer que palestinos do Norte de Gaza devem se deslocar em direção ao Sul.

22.out.2023: Guerra já deixou mais de 6 mil mortos, sendo 4,7 mil palestinos e 1,4 mil israelenses (a grande maioria no dia 7 de outubro, quando houve o ataque surpresa do Hamas).

22.out.2023: Num movimento raramente visto na diplomacia, 50 países já se uniram contra o veto dos Estados Unidos à resolução proposta pelo Brasil no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas). Eles pedem uma reunião de emergência da entidade.

22.out.2023: Caminhões de ajuda humanitária continuam entrando em Gaza, com origem no Egito.

22.out.2023: O presidente da França, Emmanuel Macron, vai visitar Israel na terça-feira (24.out.2023).

21.out.2023: Continuam os voos de repatriação. Desta vez, o Brasil trouxe também 3 bolivianas, além de 66 brasileiros.

21.out.2023: Pelo Egito, ajuda humanitária entra em Gaza, após quase 1 semana de espera.

20.out.2023: Ajuda humanitária em Gaza só deve entrar neste sábado (21.out.2023). Informação da ONU.

20.out.2023: Hamas liberta duas reféns norte-americanas, mãe e filha.

20.out.2023: Cerca de 80% dos israelenses culpam o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, por ataque do Hamas. A avaliação é de que houve falha de segurança.

20.out.2023: Na Passagem de Rafah, no Egito, o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Antonio Guterres, pediu mais uma vez que seja autorizada a entrada de suprimentos e ajuda humanitária em Gaza, onde mais de 2 milhões de pessoas estão sem água e energia. “É impossível estar na Passagem de Rafah e não sentir o coração partido”, disse Guterres. De um lado, civis em necessidade. Do outro, os suprimentos necessários. No entanto, não há a autorização necessária para cruzar.

20.out.2023: Funcionários da ONU (Organização das Nações Unidas) estão morrendo em Gaza. Houve mais 2 mortos no dia 19 de outubro. Agora são 16, no total. A informação é da própria entidade.

19.out.2023: Israel ainda se prepara para entrar em Gaza por via terrestre. Mostramos isso e algumas informações abaixo na nossa curadoria de notícias enviada pelo WhatsApp no dia 20 de outubro de 2023. Leia aqui.

19.out.2023: Ainda não se sabe de quem foi a responsabilidade pela explosão no hospital em Gaza que deixou centenas de pessoas mortas.

19.out.2023: Caminhões continuam a esperar na fronteira do Egito com Gaza para levar ajuda humanitária.

19.out.2023: O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pede que Congresso dos EUA turbine ajuda militar a Israel.

18.out.2023: Egito concorda em liberar Passagem de Rafah para ajuda humanitária a Gaza.

18.out.2023: Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) veta resolução proposta pelo Brasil.

  • ? Contexto: A resolução foi amplamente aprovada. Houve 12 votos a favor e 2 abstenções. Apenas 1 voto contrário, que foi dos Estados Unidos. No entanto, como os Estados Unidos são um dos 5 membros permanentes do Conselho, uma resolução não pode ser aprovada sem consentimento deles.

18.out.2023: Continuam a chegar brasileiros repatriados. Já são mais de 1,1 mil.

18.out.2023: Em Israel, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, encontrou o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

18.out.2023: Biden prometeu US$ 100 milhões de dólares para destinar a ajuda humanitária em Gaza. Ao mesmo tempo, Biden disse que pedirá autorização do Congresso norte-americano para apoiar Israel.

18.out.2023: Biden também declara que acredita não ter sido de Israel a responsabilidade pela explosão num hospital em Gaza que deixou centenas de civis mortos.

18.out.2023: Nos Estados Unidos, o maior protesto judeu a favor dos palestinos da História. Cerca de 400 judeus norte-americanos protestaram dentro do Capitólio, em Washington, D.C., pedindo que os congressistas cobrem um cessar-fogo.

18.out.2023: Porta-voz da Defesa de Israel faz briefing à imprensa na manhã desta quarta (18) sobre o míssil que atingiu hospital em Gaza.

18.out.2023: Novo voo partindo de Tel Aviv com direção ao Brasil. Assim, cerca de 1,1 mil brasileiros terão sido repatriados.

18.out.2023: Biden vai encontrar famílias que foram vítimas do Hamas em visita a Israel.

18.out.2023: Biden também deve falar com o presidente da ANP (Autoridade Nacional Palestina), Mahmoud Abbas, e com o presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sissi, quando estiver voando de volta aos Estados Unidos.

18.out.2023: Biden aterrissa nesta quarta (18) em Israel para encontrar o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

17.out.2023: O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deve visitar Israel e encontrar o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu no dia 18 de outubro.

17.out.2023: Bombardeio atinge maior hospital de Gaza e mata centenas de pessoas. Não há consenso sobre o número de mortos. Também não há consenso sobre a autoria do bombardeio. A informação original foi do Ministério da Saúde de Gaza, que é controlado pelo Hamas.

16.out.2023: Argentina, Uruguai e Paraguai pedem ajuda ao Brasil para repatriar seus cidadãos que desejam sair da zona de guerra. Brasil diz que prioridade é garantir o retorno de todos brasileiros. Depois, sim, vai ajudar os vizinhos.

16.out.2023: Israel vai dar fuzis a civis para defender território.

16.out.2023: Israel agora diz que há cerca de 200 reféns em Gaza.

16.out.2023: Cerca de 4 mil pessoas já morreram na guerra, sendo 2,6 mil palestinos e 1,4 mil israelenses.

16.out.2023: Israel nega acordo para cessar-fogo.

15.out.2023: Israel diz que vai restabelecer fornecimento de água ao sul de Gaza.

15.out.2023: Israel amplia prazo para que palestinos deixem o norte de Gaza.

15.out.2023: Foguetes são disparados contra Tel Aviv enquanto senadores norte-americanos se preparavam para dar entrevista coletiva de imprensa.

15.out.2023: Um dos comandantes do Hamas é morto pelas forças israelenses.

15.out.2023: Exército israelense aguarda “decisão política” para fazer incursão terrestre em Gaza.

14.out.2023: Exército de Israel se prepara para entrar em Gaza por via terrestre.

14.out.2023: Palestinos do Norte de Gaza migram em direção ao Sul, perto da fronteira com o Egito, fugindo dos bombardeios israelenses.

13.out.2023: Brasileira é encontrada morta em Israel. Assim, há 3 brasileiros (duas mulheres e um homem) mortos no conflito.

13.out.2023: União Europeia diz que prazo de 24h para evacuar Gaza é irreal.

13.out.2023: Israel determina que pessoas vão ao Sul da Faixa de Gaza. Civis dizem estar desesperados. Acrescentam que Israel tem bombardeado escolas –e que mesmo uma ida ao Sul não garante suas vidas.

12.out.2023: Metade dos mortos (cerca de 700, de 1,4 mil) em Gaza por bombardeios são mulheres e crianças.

12.out.2023: Lula libera avião presidencial para buscar brasileiros em Israel.

12.out.2023: Cruz vermelha pede que Israel libere passagem de combustíveis a Gaza a fim de evitar que “hospitais sobrecarregados em Gaza se tornem necrotérios”. Israel diz que manterá bloqueio.

12.out.2023: Irã chama países islâmicos a se unirem contra Israel.

12.out.2023: Israel já lançou, até aqui, um total de aproximadamente 6 mil bombas em Gaza. São cerca de 340 mil desabrigados, além dos 1,4 mil mortos na região, sendo mais de 400 crianças e mais de 200 mulheres.

11.out.2023: Hamas começa a matar reféns e posta fotos de pessoas mortas no Facebook.

11.out.2023: “Há possíveis infiltrados no país”. Foi o que disse a administração responsável pelo norte de Israel ao correspondente de guerra da Al Jazeera.

11.out.2023: Chega no Brasil a 1ª leva de repatriados, com 214 pessoas. Ao todo, cerca de 2,2 mil brasileiros pediram para retornar ao país por causa do conflito.

10.out.2023: Israel diz ter matado cerca de 1,5 homens do Hamas.

10.out.2023: Em pronunciamento à nação, Netanyahu diz que os bombardeios em Gaza são “só o começo”* e que ecoará “por gerações” o que farão com seus “inimigos”.

10.out.2023: Biden diz que ataque do Hamas foi “ato de pura maldade”.

10.out.2023: A Faixa de Gaza, uma das regiões mais populosas do mundo fica sem energia, sem água e com escassez de alimentos. ??? Isso deixa milhões de pessoas (civis) em profundas dificuldades humanitárias. ⚠️??

9.out.2023: Israel bombardeia 200 alvos em Gaza. ?

9.out.2023: Hamas diz que, a cada bombardeio em Gaza, matará um dos cerca de 150 reféns, televisionando a execução.

7.out.2023: Líderes mundiais repercutiram o ataque. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse estar “chocado” e defendeu a criação de um Estado da Palestina.

7.out.2023: Netanyahu conversa com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que diz estar pronto a oferecer “todos os meios” de apoio a Israel.

7.out.2023: O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu promete acabar com o Hamas. Diz aos palestinos para saírem de grandes centros urbanos, fala que reduzirá esconderijos “a ruínas” e chama reservistas. ?️

7.out.2023: Serviços de inteligência de Israel são criticados por não terem conseguido prever o ataque do Hamas.

7.out.2023: O Hamas ataca Israel com milhares de foguetes (mais de 4 mil) e centenas de homens infiltrados em solo, que disparam indiscriminadamente contra as pessoas, matando outras centenas. Por isso, o episódio é classificado como “terrorismo” pelo Correio Sabiá. Um dos casos que ficaram mais conhecidos foi a invasão a uma festa rave, na qual os militantes abriram fogo deliberadamente contra as pessoas que curtiam o evento. Foram encontrados cerca de 260 corpos próximos ao local.

7.out.2023: Início da guerra

Um dos aviões que resgataram brasileiros em Israel / ? Audiovisual/PR
Imagem do 1º avião a resgatar brasileiros em Israel / ? Audiovisual/PR

3) Pontos de vista e análises que achamos interessantes ?

Agora, o Correio Sabiá traz algumas análises interessantes e diversas que podem te ajudar a ganhar uma visão de águia sobre o assunto.

  • Yuval Noah Harari (historiador e autor do best seller “Sapien”): “Israelenses e palestinos estão encarando seu momento de maior perigo desde 1948”. The Guardian, em inglês (Leitura: 2min)

Ainda tem esta outra análise, em inglês, que pode te interessar. ⬇️

? Queremos você voando junto com a gente. Conte no Instagram o que acha do @correiosabia. Marque a gente e concorra a brindes. ?

4) O que pensam os leitores do Correio Sabiá sobre o conflito Israel x Hamas ?

Este espaço é interativo, para leitores deixarem suas impressões/pensamentos sobre o conflito, ajudando-nos a construir um jornalismo mais útil para você.

  • Leia outras notícias recentes do Correio Sabiá:

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

leia mais