Chegou agora? Entenda o noticiário da semana #03

Chegou agora? Entenda o noticiário da semana #03

Chegou agora? Entenda o noticiário da semana #03

Depois do reajuste da gasolina e do diesel, discussões sobre combustíveis devem dominar a pauta da semana
Entenda a noticiário com o Correio Sabiá: todo domingo, uma reportagem que contextualiza o que foi e o que será notícia, fazendo a ponte entre uma e outra semana / Foto: Scott Graham/Unsplash
Entenda o noticiário com o Correio Sabiá: todo domingo, uma reportagem que contextualiza o que foi e o que será notícia, fazendo a ponte entre uma e outra semana / Foto: Scott Graham/Unsplash

A semana passada foi mais curta, com feriadão de Corpus Christi na última quinta-feira (16). E, bem na saída para o feriado, quarta-feira (15), muita coisa aconteceu. Para que você entenda o noticiário, vamos recapitular:

  1. houve a confirmação de que os corpos do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, que estavam desaparecidos desde o dia 5 de junho, foram encontrados no Amazonas. Até agora, há 3 presos e outros 5 suspeitos.
  2. o Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu elevar a taxa básica de juros, a Selic, de 12,75% ao ano para 13,25%, o maior patamar em 5 anos.
  3. da mesma maneira, o equivalente ao Copom nos Estados Unidos, o Fomc, elevou a taxa básica de juros norte-americana em 0,75 ponto percentual. 

Já na sexta-feira (17), o Ibovespa caiu forte e fechou abaixo do patamar de 100 mil pontos. Já o dólar, subiu. Fechou cotado a R$ 5,14. E, na mesma sexta, a Petrobras anunciou reajuste da gasolina (5,18%) e do diesel (14,26%) às distribuidoras.

Esse reajuste atingiu em cheio o governo federal, que já tinha indicado em abril um outro presidente para a Petrobras. Os consumidores, é claro, também serão impactados.  

E não para por aí. (Agora, que recapitulamos os últimos capítulos, vamos o que deve ocorrer nos próximos dias para fazer a ponte entre uma semana e outra.)

O noticiário desta semana deve ser tomado por avanços nas discussões sobre a política de preços da estatal (baseada na cotação do barril do petróleo no mercado internacional) e até na taxação dos lucros da Petrobras.

É com objetivo de avançar nessas discussões que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que reuniria líderes partidários nesta segunda-feira (20). Aliás, Lira falou que o atual presidente da estatal é “ilegítimo”.

Já o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), emitiu uma nota na qual pressiona o governo federal, maior acionista da estatal, a tomar providências para reduzir os valores dos combustíveis. Pacheco falou na criação de um fundo de estabilização de preços.

Eis a íntegra da nota:

“Se a situação dos preços dos combustíveis está saindo do controle, o Governo deve aceitar dividir os enormes lucros da Petrobras com a população, por meio de uma conta de estabilização de preços em momentos de crise. Afinal, é inexistente a dicotomia Petrobras e Governo, pois a União é a acionista majoritária da estatal e sua diretoria indicada pelo Governo. Além disso, medidas semelhantes estão sendo adotadas por outros países em favor de sua economia e de sua população.

O Senado aprovou inúmeras matérias legislativas que estavam ao seu alcance e agora espera medidas rápidas e efetivas por parte da Petrobras e de sua controladora, a União. Já que o governo é contra discutir a política de preços da empresa e interferir na sua governança, a conta de estabilização é uma alternativa a ser considerada.”

Além dessas autoridades, também devemos observar ao longo desta semana as manifestações de governadores a respeito dos combustíveis, já que nos últimos meses nos acostumamos a ver várias movimentações que constetavam o ICMS desses itens.

Inclusive, na semana passada, avançou o projeto que limita a 17% a cobrança do ICMS sobre combustíveis, transportes públicos, energia elétrica e comunicações –todos estes agora considerados essenciais.

O texto tinha sido aprovado na Câmara, inicialmente. Depois, foi aprovado no Senado. No entanto, como sofreu alterações, voltou para apreciação dos deputados federais. E foi rápido. Estes congressistas, por fim, aprovaram o projeto na quarta-feira (15). Agora, falta a sanção presidencial.

Esquecemos algum evento importante? Avise para a nossa equipe: redacao@correiosabia.com.br. “Entenda o noticiário” é mais uma iniciativa do Correio Sabiá para fazer você realmente compreender as notícias.

Para saber uma agenda completa e detalhada, consulte a Agenda da Semana que o Correio Sabiá publica neste site aos domingos, com a previsão do que deve ser notícia nos próximos dias.

leia mais