🇦🇷 Eleições na Argentina em 2023: quais as diferenças entre Massa e Milei

🇦🇷 Eleições na Argentina em 2023: quais as diferenças entre Massa e Milei

?? Eleições na Argentina em 2023: quais as diferenças entre Massa e Milei

Preparamos um conteúdo com contexto e principais diferenças entre os 2 candidatos que disputam o 2º turno na Argentina
Javier MIlei e Sergio Massa disputam o 2º turno na Argentina / ? Reprodução
Javier MIlei e Sergio Massa disputam o 2º turno na Argentina / ? Reprodução

O Correio Sabiá produz este conteúdo sobre as eleições presidenciais na Argentina em 2023, porque seus leitores assim desejaram. No dia 6 de novembro de 2023, consultamos nossa audiência numa enquete no WhatsApp. 

Como acreditamos que o Jornalismo deve ser interativo, perguntamos se nossos leitores preferiam que publicássemos um conteúdo especial sobre 1) as diferenças dos 2 candidatos na eleição argentina ou sobre 2) as guerras que estão ativas no mundo. A opção 1 venceu, considerando a soma de todos os grupos que temos.

Note: este conteúdo do Correio Sabiá poderá receber atualizações ao longo do tempo, se for necessário, para te manter bem-informado/a. Se isso ocorrer, vamos informar por aqui. 

Acreditamos que é melhor aperfeiçoar um mesmo conteúdo do que publicar vários conteúdos sobre um mesmo assunto. No Correio Sabiá, fazemos você voar nas notícias ao consolidar tudo o que sabemos sobre determinado tema num lugar só. 

Abaixo, você tem acesso às principais diferenças de propostas, ao contexto da eleição e ao vídeo completo do último debate presidencial entre os 2 candidatos que disputam a chamada “balotaje” de 2023, que é o 2º turno na Argentina: Sergio Massa, ministro da Economia e representante do governismo/peronismo, e Javier Milei, deputado e ultraliberal.

⚔️ Eleições na Argentina em 2023: principais diferenças entre Massa e Milei

?️ Jornalismo colaborativo. *Para assinalar as principais diferenças entre os 2 candidatos, a reportagem do Correio Sabiá consultou o jornalista argentino Diego Granda, que colaborou que os tópicos abaixo:

? Dolarização da Economia. Enquanto Milei promete dolarizar a economia da Argentina e diz que vai fechar o Banco Central para tornar o dólar a moeda oficial do país, Massa defende autonomia monetária e fortalecimento do peso. 

? Causas da inflação. Enquanto Milei atribui a inflação ao tamanho do gasto do Estado, Massa afirma que a situação econômica se deve aos US$ 43 bilhões que a gestão do ex-presidente Mauricio Macri tomou de empréstimo do FMI (Fundo Monetário Internacional).

? Compreensão da Economia. Enquanto Milei defende que o Estado não faça intervenções na Economia, Massa diz que “a saída da Argentina é aumentar exportações” e, entre outras medidas, fazer um “acordo de unidade nacional que permita a redução do sistema de impostos”, num “caminho sobre a simplificação tributária para ampliar o comércio”.

? Educação. Enquanto Milei planeja um sistema de privatização da educação pública, Massa defende o atual sistema e seu fortalecimento. 

  • Milei declarou no último debate presidencial com transmissão pela TV (assista na íntegra mais abaixo, neste mesmo conteúdo) que não pretende cobrar pela Educação do país do curto prazo, mas não respondeu o que quer fazer no médio e longo prazo.

? Religião. Enquanto Milei afirmou durante a campanha que o Papa Francisco (que é argentino) é “comunista”, Massa diz que vai “trabalhar” para que o Papa visita a Argentina em 2024.

? Relações Externas. Enquanto Milei diz que não terá relações com países que chama de “comunistas” (segundo ele, casos de Brasil, Índia e China), Massa planeja reforçar as alianças da Argentina com países do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

➡️ Deixamos as Relações Externas por último porque cabem algumas observações a mais (e pedimos sua ajuda se estivermos esquecendo de algo; basta enviar uma mensagem e nos alertar: redacao@correiosabia.com.br).

  1. O Brics é um bloco em ampliação. A Argentina, por exemplo, foi aceita em 2023 como integrante do grupo a partir de 2024. Com Milei, o futuro é incerto. 
  2. Milei criticou diversas vezes o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Também é verdade que marqueteiros que ajudaram o PT na eleição contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) passaram a orientar Massa na campanha.
  3. Embora critique países “comunistas” e diga que não terá relações com eles, Milei diz que “a questão de comercializar com Brasil ou China é questão dos privados, e não do Estado”. Ou seja, ele não vai impedir que o comércio atue com esses países. O enfraquecimento, portanto, deve ocorrer em termos de governo e políticas conjuntas.

? Contexto da eleição na Argentina em 2023

Casa Rosada, na Argentina, terá novo ocupante a partir de 2024 / ? Gustavo Sánchez/Unsplash
Casa Rosada, na Argentina, terá novo ocupante a partir de 2024 / ? Gustavo Sánchez/Unsplash

? Inflação e cotação do dólar. A eleição argentina de 2023 ocorre num momento de dificuldade econômica, com inflação acumulada de 120% neste ano (expectativa de chegar a 140% até o final de 2023). 

Nos últimos anos, turistas notaram que a Argentina tinha “duas cotações de dólar”, sendo uma oficial e outra extraoficial. Na prática, trocava-se dólar por pesos pela cotação extraoficial, que rendia mais pesos.

Atualmente, a cotação oficial nem sequer é praticada no país. Nem mesmo vale em compras de cartão de crédito. Ou seja, as principais bandeiras de cartão já praticam a cotação extraoficial quando chega a fatura. Oficializou-se a cotação paralela, a extraoficial.

Podemos dizer isso em 1ª pessoa, porque o Correio Sabiá esteve duas vezes em Buenos Aires (capital da Argentina) nos últimos meses. Uma em setembro, a convite da Fundación Gabo. Outra em outubro, a convite do ICFJ (International Center for Journalists), para participar da Media Party, evento que conecta mídia, empreendedorismo e tecnologia.

Para se ter ideia, enquanto US$ 1 girava em torno de R$ 5, com certa estabilidade, na Argentina US$ 1 variava diariamente. Na 1ª ocasião que fomos a Buenos Aires, US$ 1 valia cerca de 700 pesos. Duas semanas depois, passou para cerca de 850 pesos.

? Subsídios. Outro tema sensível para os argentinos. O governo alivia as contas para reduzir,principalmente, os custos da população com eletricidade e transporte. Nestes casos, basicamente, o governo transfere dinheiro para que empresas não aumentem preços ao consumidor. 

Ainda há subsídios para gastos sociais (no Brasil, situação semelhante ocorre com o Bolsa Família, por exemplo) e para custear tributos (que são desonerações fiscais para ajudar setores produtivos com impostos). 

Diante das dificuldades econômicas que a Argentina enfrenta, o eventual corte de subsídios virou central na campanha de Massa e Milei. Ambos dizem, na véspera da eleição, que não vão tocar nessa questão. Assunto delicado.

?️ Resultado do 1º turno. Eis abaixo o resultado do 1º turno, que definiu Massa e Milei como adversários no 2º turno: 

  1. Sergio Massa (36,68%); 
  2. Javier Milei (29,98%)
  3. Patricia Bullrich (23,83%)
  4. Juan Schareti (6,78%); 
  5. Myriam Teresa Bregman (2,70%)

➡️ Pesquisadores da Unesp (Universidade Estadual Paulista) analisaram o resultado.

?️ Vídeo do debate presidencial. Se quiser, veja o debate entre os 2, transmitido no YouTube no dia 12.nov, um domingo antes da eleição:

?‍⬛ Assobio: acreditamos que a interação com a nossa audiência nos ajuda a fazer um Jornalismo ainda mais útil para vocês. Por isso, convidamos leitores/as a apontar erros, imprecisões, pontos fortes e/ou melhorias neste e nos outros conteúdos que temos neste site. O que importa é que nossa audiência saiba que estamos dando nosso melhor para fazer um trabalho para vocês, e que estamos abertos a escutar vocês. ?? Se necessário, nos corrijam. É possível fazer isso por mensagem privada no WhatsApp ou pelas nossas redes sociais (@correiosabia). Vamos voar juntos. ?

? Queremos você voando junto com a gente. Conte no Instagram o que acha do @correiosabia. Marque a gente e concorra a brindes. ?

  • Leia outras notícias recentes do Correio Sabiá:

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

leia mais