#837: Começam os pagamentos dos benefícios sociais ampliados

#837: Começam os pagamentos dos benefícios sociais ampliados

Sabiá #837: Começa pagamento do Auxílio Brasil de R$ 600, Auxílio Gás de R$ 110 e voucher caminhoneiro

IBGE divulga IPCA de julho com deflação (ou seja, queda geral dos preços) de 0,68%, menor taxa histórica
Sabiá: O presidente Jair Bolsonaro em caminhão movido a gás natural, em Aracaju / Foto: Alan Santos/PR/17.ago2020
O presidente Jair Bolsonaro em caminhão movido a gás natural, em Aracaju / Foto: Alan Santos/PR/17.ago2020
Notas do editor: 
1) A 1ª edição da curadoria enviada no WhatsApp não tinha o resultado do IPCA, porque ainda não tinha sido divulgada; em seguida, foi enviada uma versão atualizada, já com o resultado, como consta neste artigo;
2) Não publicamos a versão da curadoria de notícias nesta segunda-feira (08.ago.2022), porque estava semelhante ao "Entenda o noticiário" #10.

Neste resumo você encontrará alguns desses tópicos:

  • IPCA de julho: preços caem 0,68%, menor taxa da série histórica, iniciada em janeiro de 1980;
  • Auxílio Brasil de R$ 600, Auxílio Gás de R$ 110 e voucher caminhoneiro com duas parcelas de R$ 1 mil (total de R$ 2 mil) começam a ser pagos nesta terça-feira (9);
  • TSE exclui coronel que fazia parte de grupo de fiscalização das eleições por propagar desinformação eleitoral; PROS cancela pré-candidatura de Pablo Marçal

Financie o nosso jornalismo independente. Assim, você nos ajuda no combate à desinformação e ganha uma experiência ainda melhor com o Sabiá.

  • Clique aqui para acessar a Agenda da Semana, onde você encontrará os principais eventos políticos e econômicos esperados para hoje e para os próximos dias.

Agora, pegue o seu café e vamos à curadoria das notícias essenciais:

IPCA: julho tem menor taxa (-0,68%) da série histórica

Puxado principalmente pelo grupo de Transportes (-4,58%), o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de julho foi de -0,68%. Exatamente: variação negativa. Chama-se deflação a queda geral dos preços, enquanto a conhecida inflação é o aumento.

O resultado de -0,68% foi o menor de toda a série histórica do IPCA, iniciada em janeiro de 1980.

Dessa forma, a inflação acumulada nestes 7 meses de 2022 agora é de 4,77%. Até junho (6 primeiros meses do ano), essa mesma variação era maior, de 5,45%.

Isso quer dizer que a inflação voltou a ficar dentro do teto da meta estabelecido pelo Banco Central até o fim de 2022.

A meta de inflação é de 3,5% no período acumulado até o fim do ano, mas há uma tolerância de 1,5 ponto percentual para cima e para baixo. Ou seja, torna-se tolerável que a alta geral dos preços fique entre 2% (piso) e 5% (teto).

Pode até causar estranheza a você, leitor, mas é isso mesmo: em junho, apenas na metade do ano, o limite máximo estabelecido para a inflação no ano inteiro já tinha sido descumprido, mas agora, um mês depois, a alta geral dos preços voltou a um ponto dentro do tolerável.

No entanto, dificilmente o teto da meta será cumprido, já que as projeções do mercado são de inflação acumulada de 7,11% até o fim deste ano, segundo o último Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (08.ago).

Veja abaixo mais alguns dados sobre a inflação medida pelo IPCA para ter pontos de comparação com o resultado de julho deste ano:

  • No acumulado dos últimos 12 meses, a alta geral dos preços é de 10,07%. Antes, nos 12 meses acumulados até junho, era de 11,89%.
  • No mês imediatamente anterior, junho de 2022, a alta dos preços foi de 0,67%.
  • Já no mês de julho do ano passado, a alta dos preços foi de 0,96%.

Benefícios previstos na PEC das Bondades começam a ser pagos

O Auxílio Brasil de R$ 600 (com inclusão de 2,2 milhões de novas famílias) começa a ser pago nesta terça-feira (09.ago.2022), assim como o Auxílio Gás de R$ 110 (valor dobrado) e as duas parcelas simultâneas de R$ 1 mil do voucher caminhoneiro, que vão totalizar R$ 2 mil para a categoria neste mês.

A ampliação e a criação desses benefícios foi possível por causa da aprovação da PEC (proposta de emenda à Constituição) das Bondades, que também foi chamada de várias outras formas, como PEC Kamikaze. Explicamos todos os detalhes dessa norma, desde a sua tramitação até a sua aprovação, aqui no Correio Sabiá.

Outra agenda relevante desta terça-feira (9) é que o Banco Central divulgará a ata da última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), realizada na semana passada, que definiu o aumento da taxa básica de juros, a Selic, para 13,75% ao ano. Esse documento é relevante para indicar como pensa o Copom sobre novos eventuais reajustes, por exemplo.

O ministro da Cidadania, Ronaldo Vieira Bento, é o entrevistado no programa A Voz do Brasil / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O ministro da Cidadania, Ronaldo Vieira Bento, foi entrevistado no programa A Voz do Brasil. Ele é o responsável pela condução do pagamento dos auxílios / Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Pela 6ª vez seguida, mercado reduz expectativa de inflação em 2022

O Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (8) mostrou que o mercado voltou a revisar para baixo a expectativa de inflação para o fim deste ano. Foi a 6ª vez consecutiva que fez isso. Agora, a queda foi de 7,15% para 7,11% até o fim do ano. Há 4 semanas, a expectativa era de que a inflação fechasse o ano em 7,67%.

Por outro lado, continua aumentando a expectativa de inflação para o final do ano que vem, 2023. Já são 18 aumentos consecutivos. Há 4 semanas essa expectativa era de 5,09%. Agora, 5,36%.

Já o crescimento do país medido pelo PIB (Produto Interno Bruto) tem animado mais os principais agentes do mercado. O crescimento esperado era de 1,59% há 4 semanas, mas agora chega a 1,98%.

Por fim, é relevante que você saiba que o Ibovespa avançou 1,81% no pregão desta segunda-feira (8), aos 108.402 pontos. O dólar caiu 1,1%, cotado a R$ 5,11.

Imagem mostra a palavra 'Focus' desfocada / Foto: Stefan Cosma/Unsplash
Boletim Focus tem revisado semanalmente a expectativa de inflação em 2022 para baixo / Foto: Stefan Cosma/Unsplash

Bolsonaro pede a banqueiros a redução dos juros do consignado

Enquanto isso, o presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu a banqueiros a redução dos juros do empréstimo consignado aos beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada). Dissemos que deveríamos ficar atentos a desdobramentos do consignado nesta semana; que notícias assim deveriam pintar no noticiário.

Já o presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), Isaac Sidney, disse que os bancos não gostam de juros altos. As declarações ocorreram num almoço promovido pela Febraban nesta segunda.

Eleição: PROS cancela candidatura de Marçal; TSE retira coronel de grupo que fiscaliza pleito

A nova diretoria do PROS cancelou a pré-candidatura de Pablo Marçal à Presidência da República e, agora, o partido deve apoiar o ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) já no 1º turno. Ocorre que a diretoria do PROS mudou nas últimas semanas a partir de entendimentos na Justiça.

E o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) excluiu o coronel Ricardo Sant’Anna do grupo que fazia parte da fiscalização das eleições de 2022. O motivo: divulgação de notícias falsas sobre a segurança eleitoral.

O ofício que definiu a exclusão foi assinado pelos ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes, que são, respectivamente, presidente e vice-presidente da Corte Eleitoral. O documento foi endereçado ao ministro Paulo Sérgio Nogueira (Defesa). 

A informação sobre essa divulgação de notícias falsas foi do site Metrópoles, que mostrou também que esse mesmo oficial militou nas redes sociais para o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

Este resumo foi enviado por volta das 7h para quem financia o Correio Sabiá. O financiamento é voluntário e MUITO importante para continuarmos fazendo nosso trabalho. Em seguida, por volta das 8h, foi enviado gratuitamente para mais de 3,5 mil leitores do Correio Sabiá no WhatsApp, como forma de distribuir conteúdo confiável nas redes e combater a desinformação. Clique aqui para receber.

leia mais