#819: ‘Problema técnico’ adia 2º turno da PEC dos Auxílios

#819: ‘Problema técnico’ adia 2º turno da PEC dos Auxílios

Curadoria #819 do Sabiá: ‘Problema técnico’ adia 2º turno de votação da PEC dos Auxílios

Texto-base da PEC, no entanto, foi aprovado em 1º turno pela Câmara; análise deve seguir nesta quarta (13)
Sabiá: O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que acionaria a PF para investigar a falha no sistema de votação da Casa / Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados
O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse que acionaria a PF para investigar a falha no sistema de votação da Casa / Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados

Neste resumo você encontrará alguns desses tópicos:

  • Texto-base da PEC das Bondades é aprovado em 1º turno na Câmara, mas ’falha técnica’ no sistema faz sessão ser suspensa; Lira pede investigação da PF; oposição avalia pedir cancelamento da sessão;
  • Congresso aprova Diretrizes Orçamentárias de 2023, sem obrigatoriedade de execução das emendas de relator, que ficaram conhecidas como ‘orçamento secreto’; resta sanção presidencial;
  • Bolsonaro fala no telefone com irmãos de petista assassinado por um simpatizante seu, diz que a maioria da imprensa é ‘de esquerda’ e quer responsabilizá-lo

Financie o nosso jornalismo independente. Assim, você nos ajuda no combate à desinformação e ganha uma experiência ainda melhor com o Sabiá.

  • Clique aqui para acessar a Agenda da Semana, onde você encontrará os principais eventos políticos e econômicos esperados para hoje e para os próximos dias.

Agora, pegue o seu café e vamos à curadoria das notícias essenciais:

Sessão de votação da PEC das Bondades é adiada após aprovação do texto-base em 1º turno

A Câmara dos Deputados aprovou em 1º turno o texto-base da PEC (proposta de emenda à Constituição) que trata do pacote de bondades. A sessão, no entanto, foi adiada por “problemas técnicos”, quando ainda restava a análise dos destaques (alterações no texto principal sugeridas pelos congressistas) e a votação em 2º turno (uma PEC precisa ser aprovada em 2 turnos por 3/5 dos congressistas).

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), pediu que a PF (Polícia Federal) investigue o caso. 

Em nota, a área técnica da Câmara informou que “verificou instabilidade no sistema de votação remota a partir das 19 horas”. A nota acrescenta que “a situação se agravou rapidamente, suspendendo qualquer possibilidade de votação à distância, inclusive com a queda da rede wi-fi.”

“Foram interrompidos simultaneamente os 2 links de internet, fornecidos por empresas distintas. Trata-se de uma ocorrência grave e sem precedentes”, segundo a nota enviada à imprensa e recebida pelo Correio Sabiá

O mesmo texto ainda informa que, “para assegurar que todos os deputados exerçam seu legítimo direito de voto, foi suspensa a sessão e determinada a investigação imediata das causas e responsabilidade da pane do sistema”. 

A princípio, há a possibilidade de a sessão ser retomada nesta quarta-feira (13.jul), mas também há possibilidade de a oposição pedir o cancelamento da sessão.

Em termos técnicos, a “PEC das Bondades” é a PEC nº 1/2022. O texto substituiu a PEC 16/2022 e definiu a instituição de um “estado de emergência” para estabelecer a concessão de uma série de benefícios sociais a poucos meses para a eleição.

Além disso, a PEC 1/2022 foi anexada à PEC 15/2022, que cria estímulos tributários aos biocombustíveis. Assim, foi possível acelerar a tramitação da proposta e evitar, por exemplo, que a PEC 1 ficasse travada sob análise na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça). Isso poderia durar semanas.

Basicamente, a decretação de estado de emergência é uma manobra para driblar a Lei das Eleições (9.504/1997), que proíbe a administração pública de conceder novos benefícios no ano eleitoral. *(O PDF de Políticas Editoriais do Correio Sabiá disponível em nossa seção Quem Somos determina que, sempre que possível, seja linkada a lei em questão).

Congresso aprova PL das Diretrizes Orçamentárias de 2023 sem obrigatoriedade de execução das emendas de relator

Por outro lado, o Congresso Nacional concluiu a votação do projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2023, condição necessária para que os congressistas pudessem entrar de recesso parlamentar a partir do dia 17. O projeto agora vai à sanção presidencial. 

O texto aprovado estima um salário mínimo de R$ 1.294 em 2023, apenas o necessário para recompor as perdas inflacionárias, a partir do que se espera que será a inflação acumulada até o fim do ano. 

O projeto também retirou a obrigatoriedade de execução das chamadas emendas de relator, que ficaram conhecidas como “orçamento secreto”. 

Para os críticos dessas emendas, falta transparência na destinação das verbas e não há isonomia na distribuição do dinheiro entre os congressistas, o que poderia beneficiar aliados dos governos ou compra de votos para aprovar projetos.

Já os defensores da medida negam que haja falta de transparência e dizem que se trata de um recurso de independência do Legislativo para poder levar dinheiro na ponta da linha aos estados e municípios, aplicando em redutos onde os congressistas acham que é necessário.

Bolsonaro conversa no telefone com família de petista morto

O presidente Jair Bolsonaro (PL) conversou por telefone com familiares do petista Marcelo de Arruda, ex-tesoureiro do PT em Foz do Iguaçu (PT) morto a tiros em sua festa de aniversário de 50 anos por um simpatizante do presidente.

A conversa foi intermediada pelo deputado federal Otoni de Paula (MDB-RJ). Na ligação, Bolsonaro disse que quase toda a imprensa é de esquerda e está tentando botar no seu colo o assassinato. Ele disse que “politizou o negócio”. 

O presidente deve ainda visitar os familiares do petista, conforme informação foi dada ao jornal O Globo por um dos irmãos de Marcelo, José Arruda. 

De acordo com o deputado Otoni de Paula, tanto José quanto o outro irmão de Marcelo, chamado Luiz, seriam bolsonaristas.

Otoni conversou com um dos irmãos do petista, que contou que o simpatizante do presidente Jair Bolsonaro que matou Marcelo não tinha sido convidado para a festa e que ameaçou todos os convidados que estavam presentes no evento, que tinha a temática do PT. 

Entre os convidados, havia também diversos bolsonaristas, de acordo com o irmão da vítima.

Dólar volta a subir, desta vez cotado a R$ 5,43

Por fim, o dólar teve alta de 1,27% e fechou cotado a R$ 5,43 com os temores de uma recessão global. É o nível mais alto da moeda norte-americana em relação ao real desde o dia 24 de janeiro, quando o dólar estava em R$ 5,50. Já o Ibovespa fechou o pregão desta terça-feira (12) perto da estabilidade, numa alta de apenas 0,06%, aos 98.271 pontos. 

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

Este resumo foi enviado por volta das 7h para quem financia o Correio Sabiá. O financiamento é voluntário e MUITO importante para continuarmos fazendo nosso trabalho. Em seguida, por volta das 8h, foi enviado gratuitamente para mais de 3,5 mil leitores do Correio Sabiá no WhatsApp, como forma de distribuir conteúdo confiável nas redes e combater a desinformação. Clique aqui para receber.

leia mais