Boca de urna: por que a pesquisa não foi realizada em 2022?

Boca de urna: por que a pesquisa não foi realizada em 2022?

Boca de urna: entenda por que em 2022 a pesquisa não será realizada pela 1ª vez desde 1989

Altos custos e curta diferença de horário em relação aos resultados do TSE são os principais motivos
Eleição 2022: todos os estados obedecerão ao fuso horário de Brasília, o que torna a boca de urna menos atrativa neste ano / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Eleição 2022: todos os estados obedecerão ao fuso horário de Brasília, o que torna a boca de urna menos atrativa neste ano / Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Em 2022, pela 1ª vez desde a redemocratização (1989), a pesquisa de boca de urna não será realizada, de acordo com informações dos principais institutos responsáveis pelo levantamento.

Neste artigo, seguindo nossa linha editorial de fazer você realmente entender o noticiário, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre a boca de urna e por que ela não será realizada neste ano. 

Assobio: A não realização da boca de urna neste ano foi uma das dúvidas enviadas ao canal que o Correio Sabiá abriu para que você entre em contato diretamente com esta startup para fazer perguntas. Acreditamos que a interação entre leitores e jornalistas é essencial para construir um Jornalismo focado na audiência.

O que é a boca de urna

A boca de urna é uma pesquisa realizada, basicamente, na porta das sessões eleitorais junto aos eleitores e serve de termômetro do resultado oficial da eleição.

O resultado da boca de urna, tradicionalmente, é divulgado logo após fechamento das sessões eleitorais, às 17h. Assim, é possível tentar prever quem será o vencedor do pleito. 

Por que a boca de urna não será realizada em 2022?

Pela 1ª vez desde a redemocratização em 1989, a boca de urna não será realizada. Motivos: 

  1. os altos custos envolvidos na realização da pesquisa;
  2. a agilidade do sistema eleitoral; e
  3. unificação dos horários de votação em todo o Brasil.

Esses são os fatores que fizeram os principais institutos de pesquisa desistirem de realizar o levantamento tradicional da boca de urna neste ano. 

Em outras palavras, o alto custo de realização da boca de urna e o curto intervalo de tempo de divulgação da boca de urna e do resultado eleitoral oficial fazem com que o levantamento não compense.

Para se ter ideia: o Ibope (atualmente chamado Ipec) foi o único instituto a realizar esse levantamento na eleição de 2018, quando entrevistou 30 mil pessoas a um custo de R$ 347.653,33, segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

No momento em que o TSE divulga sua 1ª parcial da eleição, a amostragem de eleitores já é muito superior a qualquer pesquisa de boca de urna.

Eleitores votam no 1º turno em seção eleitoral no Colégio Maria Raythe, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Eleitores votam no 1º turno em seção eleitoral no Colégio Maria Raythe, na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro / Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O que mudou na eleição de 2022 para as anteriores

Uma das principais mudanças na eleição deste ano para os pleitos anteriores é a unificação do horário de votação, que ocorre de 8h às 17h em todo o Brasil, obedecendo única e exclusivamente ao horário oficial de Brasília. Essa medida vale até para os estados que funcionam em outro fuso horário.

Dessa forma, a eleição ocorre ao mesmo tempo em todo o Brasil. Assim, é possível que a apuração dos votos também ocorre no mesmo horário.

Esse também é um fator que torna a pesquisa de boca de urna menos vantajosa, já que o TSE fica com instrumentos muito mais eficientes para divulgar resultados ainda mais precisos do que o levantamento de boca de urna.

Onde acompanhar divulgação dos resultados eleitorais

O TSE informou que o eleitor pode verificar em tempo real a apuração dos resultados eleitorais pelo celular. Para isso, basta baixar o aplicativo Resultados, criado pela Justiça Eleitoral, disponível gratuitamente nas lojas virtuais App Store e Google Play.

O aplicativo Resultados dá a opção ao eleitor de acompanhar a contagem dos votos nos 26 estados e no Distrito Federal, após o encerramento da votação, às 17h de Brasília. Uma versão da ferramenta também já está disponível no Portal do TSE.

leia mais