Você acha importante financiar o Jornalismo independente?

Você acha importante financiar o Jornalismo independente?

Correio Sabiá: você acha importante financiar o Jornalismo independente?

Para continuarmos produzindo um trabalho de qualidade e expandirmos nossas funções, precisamos do seu apoio
Membership: Correio Sabiá precisa de financiamento para manter seu jornalismo independente / Foto: Fabian Blank/Unsplash
Membership: Correio Sabiá precisa de financiamento para manter seu jornalismo independente / Foto: Fabian Blank/Unsplash

Você considera o Jornalismo importante? Caso sua resposta seja “sim” e você goste do trabalho que fazemos no Correio Sabiá, considere nos apoiar. Temos uma campanha ativa de financiamento mensal. Nela, você pode escolher o valor que quiser para nos ajudar, mês a mês, a voar mais alto. Os detalhes estão todos aqui.

Em outras palavras, se você quiser apoiar o Sabiá com R$ 5 ao mês, você pode. Se quiser apoiar com R$ 6,93 (mais barato que o litro da gasolina em muita cidade do país), pode também. E, claro, também aceitamos se quiser apoiar com R$ 1.000 ou mais. É realmente você quem decide.

Infelizmente a plataforma na qual a campanha de financiamento está ativa ainda não aceita contribuições em dólar nem bitcoin, mas podemos providenciar em breve. É só entrar em contato com a gente: redacao@correiosabia.com.br.

Alguns custos do Correio Sabiá

Brincadeiras à parte, o Sabiá tem crescido muito nos últimos anos, como vocês podem ver. E esse crescimento é resultado, claro, de muito investimento –seja em tempo e esforço, seja em dinheiro mesmo. Tudo aqui tem um custo.

A criação do site, em si, já é um grande custo, porque envolve contratações de profissionais para desenhar a plataforma e para construí-la também. Fora os gastos com servidor, domínio, etc. Aliás, só de ter o e-mail citado acima já é um custo fixo mensal. Estamos no GSuite.

A manutenção dos envios diários dos resumos é outro custo, mas de tempo. Leva no mínimo 2h para escrever, encurtar os links, formatar as palavras em negrito e itálico, inserir emojis…

Agora, com a criação do site, ainda há o trabalho de passar o material para um “Arquivo” (aba que vocês podem ver lá em cima). E isso envolve baixar fotos, editá-las, inserí-las no publicador, editar o texto, inserir links…

Fora outras inúmeras atividades de editar reportagens, escrevê-las e pensar nas publicações para redes sociais (haja rede social!) –Linkedin, Instagram, Facebook, Twitter. Não tem fim.

Prova desse trabalho enorme é a disposição das notícias na home page do site. Tudo aqui é friamente calculado. Se vocês notarem, os títulos têm um padrão de caracteres. As palavras-chave costumam ficar em evidência. Nada é por acaso. Mas tudo demanda atenção e dedicação.

Reconhecimento ao Correio Sabiá

O bacana é que o reconhecimento vem. O Correio Sabiá é um serviço informativo gratuito que começou pelo WhatsApp, mas hoje já está com presença consolidada em algumas plataformas. Em cada uma, traz uma abordagem diferente da notícia.

Esta iniciativa foi contemplada pelo ICFJ (International Center for Journalists), em parceria com o U.S. Department of State, com o fellowship “A Digital Path to Entrepreneurship and Innovation for Latin America 2020”.

A logomarca do ICFJ está no rodapé de todas as páginas deste site, em sinal de agradecimento ao apoio que nos foi dado. (Aliás, aceitamos apoios de outras instituições também e prometemos inserir a logo ali no mesmo lugar como gesto de “obrigado”).

Voltando ao foco: publicamos artigo no IJNet para contar sobre a experiência do Correio Sabiá no WhatsApp e, atualmente, temos uma equipe com cerca de 15 colaboradores. São diversas validações que mostram que estamos no caminho certo.

Ainda é curioso observar que o Correio Sabiá nasceu em outubro de 2018, fim de eleição presidencial, como forma de combater fake news no WhatsApp. Agora, este trabalho ganha corpo às vésperas de mais uma eleição (2022), na qual pretendemos fazer a melhor cobertura possível.

Temos estrutura e gente muito boa para essa tarefa, mas precisamos da sua ajuda para irmos ainda mais longe. Podemos fazer muito mais com o seu apoio.

leia mais