🇪🇨 #983: Candidato a presidente do Equador, Villavencio é morto 🔫

🇪🇨 #983: Candidato a presidente do Equador, Villavencio é morto 🔫

⚡️ #983: Candidato à Presidência do Equador, Fernando Villavencio é assassinado a tiros ???

Esta curadoria do Correio Sabiá recebe atualizações para te manter bem informado/a ao longo do(s) dia(s)
Candidato no Equador, Fernando Villavencio foi assassinado / ? Reprodução/@fernandovillavencioec
Candidato no Equador, Fernando Villavencio foi assassinado / ? Reprodução/@fernandovillavencioec

Candidato à Presidência do Equador pelo Movimento Construye, o ex-deputado federal Fernando Villavencio (59 anos) foi assassinado a tiros nesta quarta-feira (9.ago.2023), na capital Quito. A imprensa local afirma que ele foi vítima de um “assassino de aluguel” e recebeu “vários tiros na cabeça”. Agora, sabe-se que foram 3 tiros que o atingiram. Um homem suspeito do crime foi morto em troca de tiros com agentes de segurança.

  • Villavencio definia-se como ocupante de um campo político centrista. (*Anteriormente, erramos quando escrevemos nesta reportagem que ele se situava à esquerda). O Movimiento Construye ao qual ele pertencia é de centro. Nos últimos anos, ele vinha se aproximando da direita e do atual presidente Guillermo Lasso. Sua morte deve beneficiar a direita, eleitoralmente.
  • Um dos principais adversários políticos de Villavencio era o ex-presidente Rafael Correa (2007-2017), associado à esquerda.
  • Villavencio foi sindicalista da PetroEcuador e jornalista investigativo. Algumas de suas principais bandeiras eram o rompimento do sistema equatoriano atual e o combate à corrupção. Denunciou e reportou vários supostos esquemas que ligavam a elite equatoriana a esquemas de corrupção e ao narcotráfico.

Quando foi morto, Villavencio deixava um comício político. Ele ocupava o 5º lugar nas pesquisas mais recentes, do dia 8 de agosto. O crime ocorreu 11 dias antes da eleição no Equador, inicialmente prevista para 20 de agosto. É nesta data que o país deve eleger presidente, vice-presidente e os 137 congressistas. Ainda não há informações se a data do pleito será mantida.

Em vídeos que circulam nas redes sociais, é possível ouvir barulhos de disparos e pedidos de socorro à polícia no local. Há sangue no chão. Veja a publicação do jornalista Christian Zurita, no Twitter:

https://twitter.com/christianzr/status/1689419024055042048

Na mesma rede social, o atual presidente do Equador, Guillermo Lasso, disse estar “indignado e consternado”. Prometeu punir os responsáveis. “O crime organizado chegou muito longe, mas todo o peso da lei vai cair sobre eles”, escreveu.

Por meio do Itamaraty (sede das Relações Exteriores do Brasil), o governo brasileiro publicou uma nota na qual diz estar “consternado” com o crime.

Candidato no Equador, Fernando Villavencio foi assassinado / ? Reprodução/@fernandovillavencioec
Villavencio era do campo da esquerda / ? Reprodução/@fernandovillavencioec

Equador: quem foi Fernando Villavencio?

Além de político, Fernando Alcibiades Villavicencio Valencia foi sindicalista e jornalista. Nasceu no dia 11 de outubro de 1963, na província de Chimborazo. De maio de 2021 a maio de 2023, atuou como deputado federal. Presidiu a Comissão de Fiscalização e Controle Político.

Tanto como congressista quanto como jornalista, Villavencio fez várias denúncias e reportagens contra políticos supostamente ligados ao narcotráfico e à corrupção. Atuou no veículo Periodismo de Investigación.

Um dos principais adversários políticos de Villavencio era o ex-presidente Rafael Correa (2007-2017). Em 2014, quando era jornalista, chegou a ser condenado a 18 meses de prisão porque a Justiça entendeu que ele havia cometido crime de injúria contra o então presidente.

Contexto político do Equador

Villavencio deixou o cargo de deputado federal um pouco antes do fim do mandato, porque o presidente Guillermo Lasso dissolveu Assembleia Nacional, cuja formação era, em maioria, opositora ao seu governo. A dissolução ocorreu em maio para, segundo Lasso, acabar com a “crise política grave e comoção interna”.

A dissolução ocorreu em meio a um julgamento de impeachment para destituir Lasso. Foi também essa dissolução que deu lugar às eleições gerais antecipadas, ora marcadas (e, a princípio, mantidas) para o dia 20 de agosto.

O Equador também enfrenta uma onda de violência que fez a taxa anual de homicídios praticamente dobrar em 2022 para 25 a cada 100 mil habitantes. Um prefeito foi assassinado há duas semanas.

O país tornou-se uma rota importante para o narcotráfico na América Latina, com possibilidade de escoar drogas pela Amazônia até direcioná-las à Europa ou aos Estados Unidos.

Candidato no Equador, Fernando Villavencio foi assassinado / ? Reprodução/@fernandovillavencioec
Villavencio foi sindicalista e jornalista; denunciou supostos crimes / ? Reprodução/@fernandovillavencioec

Correio Sabiá: relembre a curadoria anterior das notícias essenciais

Para saber especialmente como foi a Cúpula da Amazônia, leia a curadoria anterior das notícias essenciais do Correio Sabiá neste link.

Pontapé inicial para as notícias desta semana (7 a 13 de agosto)

Saiba também o que o Correio Sabiá informou que deveria estar no radar do noticiário nesta curadoria de notícias, publicada no domingo (6.ago.2023), dando mais previsibilidade ao noticiário. Num texto corrido, de leitura rápida, mostramos os principais tópicos para você prestar atenção.

  • Leia outras notícias recentes do Correio Sabiá:

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

leia mais