#934: Lula faz viagem a Washington, nos Estados Unidos

#934: Lula faz viagem a Washington, nos Estados Unidos

#934: Lula viaja a Washington nesta quinta-feira (9)

Todos os compromissos do presidente na viagem aos Estados Unidos estão na Agenda da Semana
Sabiá: Lula durante café da manhã de trabalho com o Conselho Político da Coalizão, no Palácio do Planalto, dia 8 de fevereiro de 2023 / Foto: Ricardo Stuckert/PR
Sabiá: Lula durante café da manhã de trabalho com o Conselho Político da Coalizão, no Palácio do Planalto, dia 8 de fevereiro de 2023 / Foto: Ricardo Stuckert/PR
Assobio: esta curadoria foi publicada originalmente no dia 8 de fevereiro de 2023, às 19h39, mas recebeu atualizações para deixá-lo/a mais bem informado.

Lula nos Estados Unidos: presidente faz sua segunda viagem internacional em 2023

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) viaja aos Estados Unidos nesta quinta-feira (9.fev.2023) pela 1ª vez desde que reassumiu a Presidência neste seu 3º mandato. Esta é a sua 2ª viagem internacional. Na 1ª ocasião, Lula visitou Argentina e Uruguai.

Mostramos o cronograma de atividades de Lula nos Estados Unidos em nossa Agenda da Semana, conteúdo atualizado diariamente para dar mais previsibilidade ao noticiário, com uma lista dos principais eventos políticos e econômicos.

(Parênteses: também constava em nossa Agenda da Semana a divulgação da inflação oficial do país nesta quinta-feira (9), medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), relativa a janeiro. Puxado principalmente pelo valor dos alimentos, o aumento geral dos preços foi de 0,53% em janeiro. No mês anterior, dezembro, 0,62%. Nos últimos 12 meses, o IPCA acumula alta de 5,77%. Em janeiro de 2022, a variação foi de 0,54%.)

Voltando à viagem presidencial… O encontro de Lula com o presidente norte-americano Joe Biden está marcado para sexta-feira (10). Entre outros assuntos, os 2 devem tratar do fortalecimento da democracia no continente.

A viagem de Lula ocorre 1 mês após os atos do dia 8 de janeiro de 2023, que tiveram pautas golpistas. Extremistas invadiram e depredaram prédios públicos. O MJSP (Ministério da Justiça e Segurança Pública) informou que já analisou mais de 100 mil denúncias enviadas por e-mail sobre essas manifestações.

Já nesta quarta-feira (8.fev), ainda falando sobre agendas internacionais… Lula conversou pelo telefone com o presidente do Chile, Gabriel Boric. Trataram de uma cooperação para combater incêndios florestais no Chile.

Lula também autorizou nesta quarta-feira (8) o envio de ajuda humanitária à Turquia, que teve um terremoto que deixou mais de 12 mil pessoas mortas e outras milhares de feridas. A operação deve durar duas semanas.

Veja abaixo como fica a ajuda brasileira para o Chile e para a Turquia, de acordo com o governo federal:

Chile (impactado por incêndios florestais): o governo autorizou o envio de uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) equipada para combate aos incêndios (com tripulação e equipe de campo), além de aeronaves-cisternas, veículos, equipamentos e materiais. Esse apoio reforçará a ação de 60 brigadistas liberados pelos ministérios da Justiça e Segurança Pública e do Meio Ambiente e Mudança do Clima. Outros 6 especialistas em Comando e Controle e em comportamento do fogo devem reforçar a equipe de ajuda humanitária.

Turquia (impactada por terremotos): neste caso, a ajuda brasileira ocorre por meio de ação integrada entre estados e União. O Brasil disponibiliza uma equipe de busca e resgate urbano, formada por até 22 especialistas do Corpo de Bombeiros da PMSP (Polícia Militar do estado de São Paulo). O grupo ainda contará com o suporte de integrantes do Corpo de Bombeiros Militar dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. O efetivo seguirá para Ancara, capital turca, a bordo de uma aeronave cargueira KC-390, da FAB.

Novo diretor-geral da PRF toma posse

Novo diretor-geral da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Antônio Fernando Oliveira, tomou posse na tarde desta quarta-feira (8).

Contexto: na eleição de 2022, no 2º turno, a PRF desobedeceu determinação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e fez bloqueios em rodovias do país. Houve atraso na votação, mas nenhum eleitor deixou de votar por isso. Na época, houve acusações de que a instituição –supostamente aparelhada pelo então presidente Jair Bolsonaro (PL)– teria atuado para tentar prejudicar a votação do então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já que a maior parte dos bloqueios foi no Nordeste, região em que Lula tem melhor votação.

Eis a íntegra do discurso de Fernando Oliveira, novo diretor-geral da PRF:

Senhoras e senhores,

Quis o destino que eu, PRF de carreira há 29 anos, esteja assumindo o desafio de chefiar a Polícia Rodoviária Federal num momento de reconstrução da nação. Nasci com seis meses e meio de gestação e, desde cedo, entendi que viver é vencer dificuldades. Como policial, primeiro na Bahia, depois no meu querido Maranhão, conheci a realidade de um Nordeste árido que clama por atenção neste país de muitos Brasis.

A Polícia Rodoviária Federal está em todos estes Brasis. É a instituição federal com maior capilaridade e presença no território nacional. Naquela cidadezinha, naquele povoado acanhado no mapa, muitas vezes a única representação do Estado é o policial rodoviário federal. Onde parece não existir nada, tenha certeza: estará lá um PRF.

Nossas ações de fiscalização, de educação para o trânsito e de combate à criminalidade alcançam anualmente milhões de brasileiros, em 75 mil quilômetros de rodovias federais. // Há quase um século, há exatos 94 anos, a Polícia Rodoviária Federal cuida da sociedade brasileira, com Comprometimento, responsabilidade e trabalho.

Mas nos últimos anos, atos isolados, alguns abomináveis, lançaram sobre a PRF o véu da desconfiança. A reputação lapidada ao longo de décadas, de repente, se viu atingida e maculada. Por isso, relembrando Luther King, a Polícia Rodoviária Federal se defronta “com a feroz urgência do agora”. Precisamos fazer o que fazemos de melhor, e resgatar nossa essência de polícia cidadã. Porque cidadania é só outro nome para a democracia.

Hoje, 8 de fevereiro, um mês após um dos episódios mais deploráveis do Estado brasileiro, resta evidente que a defesa dos ideais republicanos não pode ser meramente retórica. Deve ser praticada diariamente em cada ação, gesto, palavra. Os valores genuínos da PRF, como educação, civilidade, respeito ao próximo são imprescindíveis para a nação.

A Polícia Rodoviária Federal, como órgão de Estado, não tem partido e não irá pactuar com qualquer investida contra a democracia. Que haja justiça para todos. Que haja paz para os brasileiros.

Olhando para frente, temos enormes desafios. O Brasil é um país-continente, em que rodovias são responsáveis pela movimentação anual de 75% da produção brasileira e de bilhões de reais em cargas. Estradas geram empregos, recolhem tributos, garantem o abastecimento e distribuem recursos. Alavancam o crescimento econômico e o desenvolvimento social.

À PRF, cabe a missão de garantir a livre circulação, a segurança pública, e de levar ordem e cidadania a milhares de municípios às margens das rodovias. O policial que flagra a ultrapassagem proibida é o mesmo que impede que a droga chegue ao portão da escola, e que também realiza o parto do bebê que não esperou no caminho da maternidade. A defesa da vida está no DNA da PRF.

Em dez anos, mesmo com o enorme aumento da frota de veículos, a segurança viária aumentou e a letalidade nas rodovias federais diminuiu. Em cooperação com diversas agências, já registramos quase 1/3 de queda no número absoluto de mortes, e perseguimos diariamente a meta de redução da violência no trânsito proposta pela ONU.

O enfrentamento à criminalidade, uma das faces de atuação mais conhecidas da PRF, nos tornou referência nacional e internacional. O permanente aperfeiçoamento de técnicas e de modelos de policiamento permitiu que a PRF apreendesse, em 20 anos, impressionantes 3 milhões e meio de quilos de maconha e 200 mil quilos de cocaína. Em quinze anos, foram interceptadas nas rodovias quase 30 mil armas de fogo. Drogas e armas que teriam inundado as ruas das cidades, destruindo famílias e agravando ainda mais as diversas chagas sociais.

A preocupação com a vida também aflora no combate aos crimes ambientais. Há anos, a Polícia Rodoviária Federal atua na preservação dos nossos biomas, especialmente da Amazônia brasileira. Muitos não sabem, mas o combate à extração irregular de madeira, ao tráfico de animais silvestres, à emissão de gases poluentes e a exploração ilegal das terras de povos originários estão entre as atividades de rotina de milhares de nossos agentes. Defendemos que é possível gerar riqueza sem destruir o meio ambiente, por meio de uma economia inclusiva, criativa e sustentável.

Nesta data, em respeito à vida e à dignidade das pessoas, também anunciamos a criação de uma estrutura robusta para defesa dos Direitos Humanos no organograma da PRF. Retomamos e aprofundamos uma vocação histórica: a defesa da cidadania. Estejam preparados para voltar a ver policiais rodoviários federais enfrentando bravamente a exploração sexual de crianças e adolescentes, o tráfico de seres humanos, o trabalho análogo à escravidão e todo tipo de mazelas que provocam o esgarçamento do tecido social.

Mas ao mesmo tempo em que olhamos para o horizonte, também reconhecemos a necessidade de olhar para dentro. Investir no nosso capital mais valioso: o servidor. Capacitar, valorizar e proteger os quadros da PRF será obrigação primária desta administração. Porque é a dedicação de cada policial, a abnegação, a resiliência, que fez e faz a Polícia Rodoviária Federal avançar. São grandes servidores públicos que transformam o serviço público. Não se faz administração sem diálogo, sem ouvir muito mais que falar. Gestão não é cuidar de processos. Gestão é cuidar de pessoas.

Com humildade, responsabilidade e empenho, trabalharei como fiz até hoje: em obediência à Constituição Federal e às leis do nosso ordenamento jurídico. Por vezes, caminharei pela fé, e não pela visão, como nos ensinou o apóstolo Paulo. Mas é justamente a fé que nos faz crer no incrível, ver o invisível, e realizar o impossível.

Só posso agradecer a todos e assumir compromissos. Compromissos com o poder público, com os trabalhadores, com a sociedade civil, com as gerações de amanhã. Vamos resgatar a essência da PRF. Uma instituição cidadã, que conhece o Brasil como a palma da mão. Que está no dia a dia das cidades, do setor produtivo, dos homens e mulheres do campo. Este Brasil de tantos Brasis vai voltar a reconhecer que a Polícia Rodoviária Federal é sim a polícia de todos os brasileiros e brasileiras.

Muito obrigado!

Governo começa retirada de garimpeiros de terra Yanomami

Ainda é relevante que você saiba que, nesta semana, começou a expulsão de garimpeiros das terras indígenas Yanomami. O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) atua na região, em Roraima, em parceria com a Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) e com a Força Nacional de Segurança Pública.

Um dos mecanismos usados pelo Ibama em suas operações de fiscalização, com objetivo de dissuadir o garimpo ilegal nas áreas de preservação ambiental, é a destruição de maquinário apreendido.

O próprio Ibama informou que “até o início da noite desta terça-feira (7.fev) haviam sido destruídos um helicóptero, um avião, um trator de esteira e estruturas de apoio logístico ao garimpo”. O órgão acrescentou que “também foram apreendidas duas armas e 3 barcos com cerca de 5 mil litros de combustível”.

Mostramos numa reportagem do Correio Sabiá em quais situações ocorre a destruição de maquinário. Leia abaixo.

Relembre ainda a nossa curadoria de notícias anterior para ficar ainda mais bem informado/a ou simplesmente leia abaixo.

Mercadante toma posse como presidente do BNDES

Político, economista, professor e acadêmico, Aloizio Mercadante tomou posse nesta segunda-feira (6.fev.2023) como presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Mercadante já foi:

  • ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (2011-2012)
  • ministro da Educação (2012-2014 e 2015-2016)
  • ministro da Casa Civil (2014-2015)

*Todos os ministérios que Mercadante ocupou foram no governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Mercadante é um dos fundadores do PT, foi deputado federal por 3 mandatos (1991-1995, 1995-1999 e 1999-2003) e, logo depois, virou senador por 1 mandato (2003-2011). Deixou o Senado em 2011, mesmo ano em que virou ministro de Dilma.

Lula e Alckmin, durante evento da transição de governo / Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação
Sabiá: Mercadante (de gravata vermelha, ao lado de Alckmin) participa de evento da transição de governo / Foto: Ricardo Stuckert/Divulgação

Na eleição de 2022, Mercadante foi um dos coordenadores da campanha de Lula. Havia, inclusive, a expectativa inicial de que ele não pudesse ser indicado para presidir o BNDES justamente por ter atuado na campanha. Falou-se que seria necessária uma alteração na Lei das Estatais.

No entanto, o TCU (Tribunal de Contas da União) entendeu que a atuação de Mercadante na campanha foi meramente intelectual. Não houve remuneração ou qualquer tipo de formalidade que o vinculasse à campanha. Portanto, não haveria também nenhum impedimento para que fosse indicado ao BNDES.

Explicamos tudo sobre esse assunto e sobre a Lei das Estatais numa ampla reportagem publicada no Correio Sabiá. Leia abaixo:

Lula, que passou o final de semana em São Paulo, viajou ao Rio de Janeiro (RJ) para participar da posse de Mercadante. O evento e a participação do presidente da República constavam na Agenda da Semana do Correio Sabiá, que dá mais previsibilidade ao noticiário.

Veja as declarações de Lula na posse de Mercadante no BNDES

‘Você só tem uma missão aqui, Aloizio, é fazer esse banco voltar a ser motivo de orgulho do povo brasileiro. É voltar a fazer com que esse banco esteja de porta aberta para os empresários que precisarem fazer investimentos em coisas novas, em novos empreendimentos’

‘Esse banco não pode pegar dinheiro e devolve para o governo. Esse banco tem que pegar dinheiro e devolver para o governo gerando investimento, gerando emprego, gerando renda e gerando melhoria na qualidade de vida do nosso povo’

‘Pode ter certeza que daqui a pouco começam os problemas, e eu tenho certeza que você vai saber resolvê-los. Porque, se você não resolvê-los, eu e Alckmin vamos ficar no seu pé até você resolver os problemas e ajudar a classe empresarial, que precisa aprender a reivindicar, precisa aprender a reclamar de juros altos. Precisa aprender a reclamar, porque, quando o Banco Central era dependente de mim, todo mundo reclamava. Era o único dia que a Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] falava, era quando aumentava o juros. Era o único dia. Alguns dirigentes sindicais, tem aqui alguns amigos meus, e a Fiesp todo dia do Copom [Comitê de Política Monetária] falava de juros. Todo dia do Copom! Agora eles não falam. No meu tempo 10,5% era muito, hoje 13,5% é pouco.’

‘Então é preciso, Josué, que você saiba… Se a classe empresarial não se manifestar, se as pessoas acharem que vocês estão felizes com 13,5% [sic, a taxa está em 13,75% ao ano], sinceramente, eles não vão abaixar juros. E nós precisamos ter noção. E não é o Lula que vai brigar, não. Quem tem que brigar é a sociedade brasileira’

‘Não existe nenhuma justificativa, nenhuma justificativa!, para que a taxa de juros esteja neste momento a 13,5% [sic, a taxa está em 13,75% ao ano]. É só ver a carta do Copom para a gente saber que é uma vergonha esse aumento de juros [a última reunião do Copom decidiu por manter a taxa no mesmo patamar, o de 13,75% ao ano, e não aumentar] e a explicação que eles deram para a sociedade brasileira’

‘Tem muita gente que fala ‘po, mas o presidente da República não pode falar isso, o presidente da República não pode falar…’ Ora, se eu que fui eleito não puder falar, quem que vão querer que fale? O catador de material reciclável? […] Não, eu que tenho que falar’

Veja a repercussão dos ataques de Lula ao Banco Central

Tanto o Ibovespa, principal índices de ações do Brasil, quanto o real (R$) desvalorizaram nesta terça-feira (7.jan.2023) após declarações de Lula contra o Banco Central.

Aliás, nesta mesma terça o Banco Central divulgou a ata da sua última reunião (eis a íntegra), encerrada no dia 1º de fevereiro, que decidiu pela manutenção da taxa de juros no patamar de 13,75% ao ano.

Já Lula, nesta terça (7), criticou a privatização da Eletrobras e disse que, “possivelmente”, a AGU (Advocacia-Geral da União) vai pedir a revisão do processo de desestatização.

E nesta quarta-feira (8), o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que o governo não quer mudar a independência do Banco Central, apesar de todas as críticas recentes de Lula. De acordo com o ministro, o governo quer discutir os juros altos.

Relembre como foi a nossa curadoria de notícias anterior e saiba o contexto dos últimos acontecimentos.

  • Leia as últimas notícias do Correio Sabiá:

Vale sempre lembrar que você pode e deve seguir o Correio Sabiá, @correiosabia, em todas as redes sociais: combatemos a desinformação, porque achamos que uma sociedade bem informada toma decisões melhores.

leia mais